Para que serve o EBITDA?

Antes de tudo, EBITDA (também conhecido como LAJIDA) significa “Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization”, traduzindo: "Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização".

Este índice, muito difundido no mercado, aparece constantemente em relatórios de analistas* e balanços financeiros de empresas. Para alguns, o EBITDA tem grande importância na análise de empresas, pois acreditam que ele mostra o verdadeiro desempenho da empresa, já que considera somente os ganhos gerados pela atividade principal da companhia. Ou seja, é uma medida que destaca o quanto a empresa gera de recursos apenas em sua atividade.

*Os analistas costumam destacá-lo fazendo a comparação dele em relação ao período anterior, obtendo assim a porcentagem de crescimento do período.

O EBITDA é muito usado para analisar empresas (lembrando que não é possível calcular o Ebitda de bancos e seguradoras) em processo de consolidação no mercado, e que por isso usam boa parte da sua receita. Por eliminar os efeitos dos financiamentos e das decisões meramente contabilísticas, ele ajuda a estimar o futuro dessa empresa, tentando assim saber a viabilidade do negócio e projetar um cenário onde ela já estará mais firmada, no qual não terá alguns desses custos desconsiderados, o que consequentemente fará aumentar o lucro líquido.

Exemplo: José tem um bar e vende salgados, doces e bebidas. Em um balanço financeiro trimestral, concluiu o seguinte relatório:

Cálculo EBITDA

Sendo:

- Receita de vendas: Valor total das vendas de salgados, doces e bebidas (atividade principal da empresa) no período. Ganhos obtidos cobrando juros/multa, de pagamentos atrasados de clientes são desconsiderados.

- Custo dos produtos vendidos: No exemplo, seriam os gastos para comprar os ingredientes para fazer os salgados, doces, bebidas, etc. Essas despesas devem ser incluídas independentemente se foram ou não pagas dentro do período.

- Despesas operacionais: Gastos realizados com o objetivo final de gerar receitas e diretamente relacionados com a área específica dos negócios da empresa. Despesas com pessoal, com as vendas e as despesas administrativas. Ex: Aluguel, funcionários, publicidade.

Observando o exemplo podemos constatar, no cálculo do EBITDA, uma maior atenção para geração de caixa e menor para o lucro líquido real que a empresa está obtendo. Desse modo, conclui-se que o EBITDA é uma medida aproximada de geração de caixa.

Crítica ao uso: Empresas com sérias dificuldades financeiras, com pouco, ou até nenhum lucro líquido, poderiam ainda assim apresentar um significativo EBITDA. Por isso o uso deste índice precisa ser combinado com outros indicadores de desempenho para uma conclusão mais realista.
Nenhum comentário:
Postar um comentário