Caderneta de poupança, o investimento popular

A caderneta de poupança é o investimento de renda fixa mais usado pelos brasileiros. Caracteriza-se por não exigir um valor mínimo de aplicação, pela alta liquidez e por não ter tributos (IR e IOF) e taxas de administração. Mas em contraparte o retorno é muito baixo, a ponto de às vezes ficar abaixo da inflação. Aliás, a poupança acaba causando uma falsa impressão de que o investidor está "seguro" ou “sempre ganha”, pois muitas vezes acaba sendo deixada de lado essa questão sobre a inflação.

De qualquer maneira, os “temores” em relação a outros investimentos (ex: ações), a facilidade para investir (basta ter uma conta em banco* e transferir recursos via Internet, Caixa Eletrônico, agência bancária ou telefone) e a possibilidade de sacar o dinheiro a qualquer momento acabam falando mais alto e fazendo com que a caderneta de poupança seja o “investimento número 1” dos brasileiros.

* Uma conta corrente vinculada com uma conta poupança. Ou quem não tem conta em banco precisa abrir, geralmente sem custos, uma conta poupança (apresentando RG, CPF e comprovante de residência no banco de preferência pessoal).

Os riscos de investir na poupança

Além de o investimento não bater a inflação, há o risco de o banco quebrar, mas nesse caso investidor tem a garantia de receber de volta até R$ 250 mil por CPF por instituição bancária.

A rentabilidade da poupança

O ganho dos juros ocorre 30 dias após a da data da aplicação (aniversário da aplicação). Se o investidor retirar o dinheiro antes de completarem 30 dias, não ganhará nada.

Tabela Rendimentos Caderneta de Poupança
OBS: No site do Banco Central é possível verificar qual será o rendimento conforme a data do depósito.
  • Curiosidade: Pela lei, 65% dos depósitos na caderneta de poupança devem ser utilizados pelos bancos para financiamento habitacional.
Nenhum comentário:
Postar um comentário