Entenda a Venda a Descoberto de ações

A operação mais simples no mercado de ações é aquela que o investidor compra uma ação e após as vende por um preço superior (ganha com a alta da ação). Mas existe um tipo de operação que pode alargar o leque de oportunidades: a Venda a Descoberto. A venda a descoberto permite que a ordem da operação seja invertida: primeiro a venda e depois a compra. Ou seja, é possível ganhar também apostando na queda do preço de uma ação.

Se o investidor pretende apenas tirar proveito da queda de uma ação em uma operação Day Trade, ele apenas faz a Venda a Descoberto* e depois irá recomprar a ação no mesmo dia. Mas caso ele deseje manter a posição vendida, precisará obrigatoriamente alugar as ações. Por exemplo...

Faz a venda de 2000 WXYZ4 a R$ 10,00 acreditando que em 5 dias essa ação irá se desvalorizar. Em seguida precisa alugar as 2000 WXYZ4 de outro investidor. Futuramente, recompra as 2000 ações e as devolve acrescidas de uma taxa de juros (pré-acordadas no momento do aluguel), para o chamado “doador” das ações. O lucro na operação ficaria entre a diferença do preço de venda e preço de compra, menos os custos com o aluguel das ações.

* para fazer a venda a descoberto o investidor precisa dar como garantia ativos (ações em custódia, saldo em conta, etc)

O risco de operar na ponta vendedora


No exemplo acima, se o preço de WXYZ4 tivesse subido o investidor teria que comprar essas ações a preço mais alto que o preço da venda, e arcar com o prejuízo. Mas o problema em si não é nem este, mas sim que este prejuízo não tem limite.

Quando você opera na ponta compradora, o máximo que você pode perder é o dinheiro investido. No caso de operar na ponta vendedora não há limites para perdas, pois uma ação pode subir infinitamente. E o risco fica ainda maior se for operar alavancado. Por este motivo, a Venda a Descoberto é mais indicada para investidores mais experientes, que sabem lidar bem com a volatilidade do mercado. 
Nenhum comentário:
Postar um comentário