Índices MSCI: o que são e os impactos nas ações

Os índices MSCI são realizados pelo Morgan Stanley Capital International para verificar o desempenho das principais bolsas internacionais. São índices que merecem grande atenção, pois servem de referências para investidores institucionais e vários grandes fundos de investimentos em todo o mundo.

Apesar dos critérios de inclusão de ações serem de certa forma um pouco imprevisíveis, sabe-se que é levado em conta principalmente o valor de mercado, o projeto para capitalização da empresa e o Free Float.

Feitas nos meses de fevereiro, maio, agosto e novembro, as alterações das ações componentes dos Índices MSCI fazem com que grandes fundos de investimentos tenham que readequar as suas carteiras para continuarem obtendo rentabilidade igual ao índice em questão. Por isso, as ações envolvidas nas alterações costumam responder com valorização ou desvalorização.

Quando ações são incluídas, os fundos precisam comprar o que acaba forçando uma valorização. Outros investidores, já sabendo que a inclusão abrirá uma grande brecha para entrada de grandes investidores, também passam a comprar aguardando uma provável alta. O contrário acontece quando uma ação é excluída, resultando em uma saída em massa da ação e consequente desvalorização.

De qualquer modo comprar ou vender uma ação apenas se guiando pela entrada ou saída da mesma nos índices MSCI não é garantia de sucesso. Afinal, é algo que apenas gera um fluxo momentâneo no papel.
Nenhum comentário:
Postar um comentário