Pontos positivos dos Fundos Imobiliários

Vantagens Fundos Imobiliários
Se investidores mais conservadores, que possuem investimentos ligados à taxa de juros, são “prejudicados” quando a Taxa Selic está em baixa, muitos investidores da bolsa de valores ficam desanimados em períodos de instabilidade econômica. Nesses momentos, os FIIs se tornam uma boa opção para esses investidores. Veja abaixo por que.

Sensação de segurança


Apesar de ser um investimento de Renda Variável e estar sujeito à riscos, os Fundos Imobiliários passam uma certa sensação de segurança, já que existe de fato um imóvel – que pode inclusive ser visitado - por trás do investimento . Isso pode ser bom para investidores que só estão acostumados com investimentos de renda fixa (poupança, CDBs, LCIs, LCAs).

Retorno mensal


Apesar de a lei obrigar que 95% dos rendimentos e ganhos líquidos do FII sejam distribuídos no dia 30 de junho e 31 de dezembro de cada ano aos cotistas, a maioria dos FIIs distribui o rendimento mensalmente, se assemelhando com alguns investimentos de renda fixa.

Administração especializada


O fundos de investimento imobiliário possuem administração especializada, incluindo agentes envolvidos na administração dos bens e na avaliação dos riscos do investimento. Porém, vale lembrar que por mais que se tenha essa seleção minuciosa dos imóveis que fazem parte do fundo, há riscos que são imprevisíveis e nem uma boa administração consegue anulá-los como, por exemplo, o da inadimplência.

Investimento mínimo baixo


Antigamente os FIIs com imóveis e inquilinos de grande qualidade eram acessíveis somente a investidores de grande porte, mas atualmente o investimento mínimo é super acessível para qualquer tipo de investidor.

Isenção de IR nos rendimentos


Se o fundo possui pelo menos 50 cotistas e o cotista tiver menos de 10% da totalidade de cotas emitidas pelo fundo, os rendimentos comentados no item 2 são isentos de Imposto de Renda. SAIBA MAIS sobre a tributação dos Fundos Imobiliários

Riscos são compartilhados


Os investidores compartilham os riscos envolvidos nos empreendimentos do fundo. Dessa forma o “prejuízo é repartido” caso algo dê errado por fatores macroeconômicos, problemas com inquilinos (vacância ou inadimplência) ou na estrutura do imóvel, riscos esses impossíveis de serem evitados. Além disso, alguns fundos diversificam a carteira investindo em empreendimentos diferentes, o que por si só já diminui o impacto desses riscos. O investidor apenas deve cuidar no que se refere à liquidez das cotas, pois pode acabar tendo que compra-las com ágio e vendê-las com deságio, risco esse que não é compartilhado.
Nenhum comentário:
Postar um comentário