Não deixe de declarar suas operações na bolsa

Mesmo que você opere pouco, esteja com prejuízo acumulado, apenas compre ações, opere na faixa de isenção (em operações normais) ou tenha parado de operar, deve declarar toda essa situação na declaração anual do imposto de renda. Veja algumas dicas para não ter problemas com o fisco:

- Se você apenas comprou ações e não vendeu, independente de quantas, deve declará-las na aba “Bens e Direitos – código 31”, com o preço médio de aquisição da ação, data de compra, quantidade e nome + CNPJ da empresa emissora do papel.

- Declare todos rendimentos como bonificações, dividendos e juros sobre capital próprio, recebidos durante o ano.

- Se teve prejuízo, não deixe de declarar, caso contrário você não conseguirá usá-lo para abater o imposto de lucros futuros. Todos os resultados mensais obtidos com as operações devem ser incluídos na ficha “Renda Variável -> Operações Comuns / Day trade”.

- Caso tenha prejuízo acumulado de anos anteriores, ainda assim deve declarar TODOS os resultados de forma correta. Por exemplo, não pense que não precisa declarar o lucro do ano só por ter prejuízos acumulados de anos anteriores.

- Lembre-se que vendas até R$ 20 mil são isentas apenas no mercado à vista, quem opera termo, day trade ou opções misturado com operações comuns, deve se preocupar em calcular estas operações para não sair do critério de isenção sem perceber. Os lucros obtidos na condição de isenção devem ser informados na ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis – Código 20 “Ganhos Líquidos em operações no mercado à vista de ações negociadas em bolsas de valores nas alienações realizadas até R$ 20.000,00, em cada mês, para o conjunto de ações”

- Se você parou de operar, é muito importante que os anos nos quais você operou sejam calculados e as operações declaradas, pois em até 5 anos a Receita Federal pode intervir e cobrar o imposto dessas operações com multa e juros.

Acha complicado fazer este controle de lucro e prejuízo? Existem ferramentas que resolvem este problema para você. É o caso da CALC1 da Sencon, calculadora de IR online muito utilizada por investidores e agentes autônomos de investimentos. Clique aqui para obter mais informações sobre a ferramenta.

Comentários

  1. Olá, bom dia. Tenho uma dúvida a respeito de IR. Na venda de ações, estou isento se vender até R$ 20.000,00 em ações dentro do mês. E opções, é o mesmo raciocínio? se eu operar? ou vender até R$ 20.000,00 em opções estou isento de IR? ou tenho de somar o movimento de opções ao de ações?
    Um exemplo prático: neste mês eu já operei R$ 25.000,00 em venda de ações e vou apurar meu IR para recolher em 20/12/2017. Nesse mês já operei R$ 1.000,00 em opções, vendendo mas essas opções vencem em 18/12. se me exercerem, somo esse valor ao das ações?
    um abraço e parabéns pelo site.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! No caso de opções não existe essa isenção de operações comuns para vendas até R$ 20 mil. Por exemplo, você pode ter tido lucro isento em operações com ações, mas se ganhou no mercado de opções, vai pagar IR sobre o lucro das opções.

      Vale lembrar também que a venda de opções não vai influenciar na isenção do IR em operações comuns com ações. Por exemplo, se vendeu 19.500,00 de ações e mais 1.000,00 em opções. Você manteve a isenção nas ações, mas terá que pagar IR das opções.

      Abraços

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Planilha Calculadora I.R Ações e Opções

Ordens START, STOP, STOP Móvel e STOP Simultâneo

O que é a Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC)?

Planilha Orçamento Familiar

Como calcular o I.R em operações com Ações e Opções