Entenda o que é uma operação de block trade

block trade
Block trade (transação em bloco) é o termo utilizado no mercado acionário para referir-se à venda de uma grande quantidade de ações através de uma única e “gigantesca” ordem de venda. Essas ações envolvidas no block trade não são novas ações, pois na verdade já estão em posse de um investidor, que apenas está se desfazendo das mesmas. Ou seja, a venda delas não aumenta a quantidade de ações existentes no mercado e portanto não causa diluição dos acionistas da empresa. Porém, pode aumentar o número de ações que estão em livre circulação (free float) no mercado.

Não é qualquer ordem grande que é considerada um block trade. Na bolsa de valores do Brasil, por exemplo, apenas se enquadra como block trade se a ordem for maior que 0,9% do free-float, ou maior que 3,5% do volume médio diário da ação nos últimos 20 dias. Como a quantidade a ser vendida é muito grande, e tem potencial suficiente para causar forte oscilação negativa nos papéis, um block trade é comunicado ao mercado com antecedência e é marcada uma data e horário para ocorrência de um leilão. Esse leilão, em que as ações literalmente irão “trocar de mãos”, funciona igual um leilão de abertura ou de fechamento de mercado e servirá para tentar ao menos amenizar o impacto da venda na cotação da ação.

Agora que já sabemos o que caracteriza um block trade, já sabemos também que não é qualquer investidor que pode realizar um block trade, afinal se trata de uma ordem de volume financeiro altíssimo. Geralmente quem está por trás de um block trade são grandes investidores ou investidores institucionais que estão querendo se desfazer de uma posição relevante na ação. Vale destacar que muitas vezes, quando o block trade é anunciado, os “demais investidores” se antecipam e vendem as ações antes da ocorrência do leilão, o que pode gerar uma pressão vendedora momentânea nas ações.

Comentários