Como analisar ações na bolsa de valores

Como analisar ações: análise técnica
 
Análise Técnica de ações
A análise técnica (também conhecida como análise gráfica) é um tipo de análise que desconsidera a situação financeira da companhia e notícias publicadas pela mídia em geral. Ela considera que todos os fatores (fundamentalistas, macroeconômicos, políticos, etc) que afetam o preço já estão refletidos na cotação atual do ativo, portanto o investidor deve levar em conta somente a representação gráfica do papel em diversos períodos de tempo, de modo a prever futuras tendências no preço.

A Análise Técnica está muito ligada à psicologia social. Padrões gráficos, por exemplo, funcionam porque muitas pessoas acreditam que por terem funcionado no passado, também funcionarão para prever os preços no futuro. Ou seja, acreditam que os preços se movem de forma repetitiva e identificável. Também é possível concluir com isso, que quanto mais adeptos da análise técnica, maior será a chance de ela não "falhar", pois serão mais pessoas vendendo ou comprando em um mesmo ponto (indicado por algum padrão).

O investidor, que quer usar essa forma de análise, deve identificar tendências e pontos de reversão do mercado através dos gráficos. Para isso é preciso conhecer padrões gráficos e indicadores. No início pode haver alguma dificuldade para identificar alguns padrões, mas isso é uma questão de prática. Outro fato que deve ser lembrado, é que papeis com maior liquidez costumam “respeitar” melhor a análise técnica.

Mesmo para quem usa a análise fundamentalista, conhecer alguns conceitos básicos da Análise Técnica pode ser muito útil. Confira abaixo os artigos sobre Análise Técnica no blog.
  1. Saiba como funcionam as Médias Móveis
  2. Análise Técnica: Suporte e resistência
  3. Gráfico Candlestick: conheça
  4. Tendências, linhas e canais de tendência
  5. Usando o On Balance Volume (OBV)
  6. O que são os padrões da análise técnica?
  7. Ponto Pivot: encontre suportes e resistências
  8. Monte canais com Andrew's Pitchfork
  9. Usando as retrações e expansões de Fibonacci
  10. Alargamento, um padrão da análise técnica
  11. O que é e como analisar um setup na bolsa de valores
  12. Padrões gráficos: Bump and Run Reversal
  13. IFR Estocástico: o que é e como utilizar
  14. Análise Técnica: a formação de topos e fundos
  15. Nuvem de Ichimoku: o que é e como utilizar
  16. Commodity Channel Index (CCI): o que é e como utilizar
  17. Como utilizar Money Flow Index (MFI)
  18. Figuras análise gráfica: Cup and Handle
  19. Rate of Change (ROC): o que é e como utilizar
  20. Balance of Power (BoP): o que é e como utilizar
  21. Keltner Channel e Envelope de ATR: o que é e como utilizar
  22. Average True Range (ATR): o que é e como utilizar
  23. Análise Técnica: True Range (TR)
  24. Como utilizar o Gann HiLo Activator
  25. Análise Técnica: Indexando Gráficos
  26. Gráfico Heiken-Ashi
  27. Oscilador Aroon: o que é e como utilizar
  28. Análise Técnica: Indicador Momentum
  29. Sombras dos Candlesticks x Firmeza do Movimento
  30. Entenda a Teoria das Ondas de Elliot
  31. Pivot de alta e pivot de baixa. Entenda
  32. Padrões Candlestick: Shooting Star
  33. Conheça o indicador Trix (Triple Exponential Average)
  34. Triple Screen de Alexander Elder
  35. ADX - Average Directional Index
  36. Market Timing: palavra-chave na análise técnica
  37. Análise gráfica em papeis de baixa liquidez
  38. Padrões Gráficos: Três Gaps (San-ku)
  39. Williams %R: o que é e como utilizar
  40. Análise gráfica: Canal de Donchian
  41. Análise gráfica: Desvio Padrão
  42. Setup Fechou Fora – Fechou Dentro (Bandas de Bollinger)
  43. Saiba utilizar as Bandas de Bollinger
  44. Utilizando o Envelope de Médias Móveis
  45. Padrões Candlestick: Morning Star
  46. O que é e como utilizar o indicador MACD
  47. Analisando o volume no mercado de ações
  48. Saiba utilizar a Agulhada do Didi
  49. Dicas para alcançar o sucesso no mercado com operações day trade
  50. Gráficos gratuitos para análise técnica
  51. Padrões Candlestick: Harami
  52. Padrões Candlestick: Piercing Line
  53. Padrões de Reversão: "Pá de Ventilador"
  54. Figuras análise gráfica: Cunhas
  55. Retângulos – Padrão de continuidade de tendência
  56. Padrões Candlestick: Hammer
  57. SAR Parabólico (Stop-and-reversal Parabolic)
  58. Como utilizar o indicador Curva de Coppock
  59. Os tipos de gráficos da análise técnica
  60. Conheça o Oscilador Estocástico
  61. Princípios básicos da Teoria de Dow
  62. Os tipos de Gaps na bolsa de valores
  63. Topos e fundos arredondados - Padrões de reversão
  64. Diamante - Padrões de Reversão
  65. Bandeiras e Flâmulas - Padrões de Continuação de Tendência
  66. Padrões Candlestick: Evening Star
  67. Padrões Candlestick: Dark Cloud Cover
  68. Padrões gráficos - Ilha de Reversão
  69. Setup Ponto Contínuo
  70. Setups 9.1 , 9.2 e 9.3
  71. Padrões Candlestick: Engulfing (Engolfo)
  72. Indicador - Índice de Força Relativa (IFR)
  73. Análise gráfica: Triângulos
  74. Análise gráfica: Topo e Fundo Duplo/Triplo
  75. Análise gráfica: OCO e OCOi

Como analisar ações: análise fundamentalista
 
análise fundamentalista de ações
A análise fundamentalista consiste em analisar o preço da ação em conjunto com a saúde financeira e operacional da empresa para saber se a mesma está sendo subavaliada, superavaliada, se tem potencial para valorizar. A partir desta análise, se toma a decisão de investir ou não na empresa. Ao contrário da análise técnica, a análise fundamentalista não serve para negócios de curto prazo, pois os fundamentos da empresa refletem na cotação no longo prazo.

Para fazer a análise da empresa, o investidor deve considerar o lado quantitativo (seus números) e o qualitativo (seus controladores, executivos, composição do conselho administrativo, etc). Isso porque é comum o lado qualitativo ser a causa de as ações estarem “baratas”. Portanto é muito importante saber identificar se a empresa está subavaliada por causa de problemas eventuais e passageiros ou por problemas de governança. Também é necessário analisar a macro e microeconomia na qual a empresa está inserida, pois em um momento de crise, por exemplo, até as mais bem administradas podem ter problemas.

Para ajudar o investidor a atribuir um valor justo para a ação, que servirá de base para as decisões de compra e venda, há vários indicadores fundamentalistas, como por exemplo, preço/lucro, o lucro líquido, endividamento, o patrimônio líquido, Dividend Yield, etc. Os dados para calculá-los são encontrados nos demonstrativos financeiros (DCF, DRE, Balanço Patrimonial) das empresas.

Confira os artigos sobre Análise Fundamentalista no blog.
  1. O que é Monopólio?
  2. O que é Oligopólio?
  3. Value Investing. Você sabe o que é?
  4. Valor Patrimonial, Valor de Mercado e Valor justo
  5. Quem foi Benjamin Graham?
  6. O que são as ações defensivas?
  7. Saiba analisar a dívida das empresas
  8. Como utilizar o indicador fundamentalista ROE?
  9. Margem Líquida: conceito e como utilizar
  10. O que é o Formulário de Referência?
  11. 11 frases de Warren Buffett
  12. O método de Philip Fisher para comprar ações
  13. Entenda o que é Recuperação Judicial (RJ)
  14. Tipos de Ações e suas características
  15. O que é uma Análise Econômico-Financeira de uma empresa?
  16. Entenda o Índice Preço/Lucro (P/L)
  17. Preço/Lucro (P/L) de ações. Qual usar?
  18. A importância de comprar ações de empresas que crescem
  19. Riscos de um Baixo Preço/Lucro (P/L)
  20. Níveis de Governança Corporativa – Entenda a importância
  21. A filosofia de investimentos de Lírio Parisotto
  22. Entenda o que é o Dividend Payout
  23. Saiba a diferença entre Dividendos e Juros Sobre Capital Próprio
  24. O que é a Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC)?
  25. Entenda o Demonstrativo de Resultados das empresas
  26. Analisando a eficiência das empresas
  27. O que é Balanço Patrimonial?
  28. Risco e Potencial de Lucro
  29. Indicador fundamentalista P/VPA (Preço sobre Valor Patrimonial)
  30. Análise Fundamentalista: LPA e VPA
  31. Entendendo o que é Dividend Yield
  32. Para que serve o EBITDA?
  33. Turnaround. Você sabe o que é?
  34. Guidance: as expectativas da empresa
  35. Entenda o que é Joint Venture
  36. Conheça o Índice Preço/Vendas (PSR)

Unindo análise fundamentalista e análise técnica

Análise Técnica e Análise Fundamentalista
Juntar a análise fundamentalista (AF) e análise técnica (AT) é algo muito criticado por vários investidores, e de fato se isso não for feito da maneira correta pode acabar até prejudicando os negócios. Por exemplo, se o trader comprou uma ação através da análise técnica e, só porque ela caiu, “se tornou um investidor fundamentalista (de longo prazo)” para tentar justificar sua permanência, estará cometendo um erro fatal na bolsa.

Mas, não podemos esquecer que uma empresa com boa saúde financeira trará menos surpresas, como notícias inesperadas que possam anular o que os gráficos indicam, para o trader. Além disso, empresas boas tendem a ter um volume negociado maior e isso é fundamental para a análise técnica.

Considerando isso, para quem gosta mais de AT, uma maneira interessante de fazer a “junção” dessas duas escolas de análises, consiste inicialmente em selecionar ações de empresas boas. Isso pode ser feito, por exemplo, procurando as que possuem lucros crescentes, patrimônio líquido crescente, dívida controlada, P/L baixo, margem líquida boa, etc. Passada essa etapa, o trader deve esquecer totalmente a análise fundamentalista e focar na análise técnica para encontrar pontos de compra e venda nessas ações.

Já para quem gosta mais de AF, utilizará a análise técnica apenas para encontrar o melhor ponto possível de compra. Vamos imaginar que a ação desejada está em baixa, então para não entrar no “meio da queda” basta usar a AT. Vale lembrar que comprando a um preço mais baixo, o investidor conseguirá comprar mais ações com o mesmo dinheiro, aumentando o retorno no longo prazo.

Concluindo, o investidor que sabe utilizar os dois tipos de análises pode aumentar os lucros na bolsa, desde que a estratégia tenha sido previamente pensada e não “inventada” no meio de um negócio.

Comentários