Lançamento Descoberto de Opções de Compra (Call)

Lançamento Descoberto de Opções de Compra (Call)
No lançamento (venda) descoberto de opções de compra, o investidor não possui a ação-objeto referente à opção lançada. Ele lança as opções apostando em um movimento de queda do ativo-objeto, para a opção também cair e ele recompra-la futuramente (até data de vencimento) por um preço menor.

Por exemplo, um investidor faz lançamento (venda) descoberto de 1.000 opções Call a R$ 1 apostando na queda da ação. A ação cai (abaixo do preço de exercício) e ele recompra as mesmas opções - que desvalorizaram - a R$ 0,50, obtendo lucro de R$ 500,00 na operação.

Porém, se a opção subisse para R$ 2,00, e ele recomprasse, teria um prejuízo de R$ 1 mil na operação. Ou se aguardasse o exercício, teria que arcar com o prejuízo que viria da compra do papel a um valor superior ao da venda (preço da venda = preço de exercício).

É importante lembrar que ações e opções não têm limite de alta, portanto o prejuízo do investidor que lança a descoberto uma Opção Call é ilimitado, podendo ser maior que o capital investido.

A grande volatilidade das opções torna a operação ainda mais perigosa. Isso faz com que as corretoras exijam diversos bens (dinheiro, títulos públicos, ações, etc) como garantia, ou nem autorizem este tipo de operação, que é mais voltada para investidores de grande capacidade financeira.

Leia também: Introdução ao Mercado de Opções

Comentários

  1. Então deixa eu ver se entendi certo:
    Suponhamos que eu tenha comprado 500 opções do tipo CALL a 0,10, com preço de strike a 11,80. Vendi as 500. No entanto, vejo o preço da ação tender a ultrapassar os 11,80 e estou descoberto. Neste caso, ainda que a opção esteja agora mais cara que os 0,20 centavos, é preferível que eu as recompre (novamente 500 opções no mínimo), pois terei "somente" o prejuízo da compra das opções, certo? Ou seja, não terei mais nenhum compromisso de venda de ações que não possuo, correto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafael! Não sei se entendi a dúvida, pois no começo diz que comprou 500 opções Call e depois diz que vendeu as 500. Ou seja, se fosse isso, teria zerado uma posição comprada em opções.

      Mas... se tu lançasse 500 opções do tipo Call a 0,10, com strike 11,80, passaria a ter a obrigação de vender a ação-objeto a 11,80 em caso de exercício. Ou seja, recebeu o prêmio de 50,00 e agora possui um compromisso.

      Mas a qualquer momento tu pode decidir recomprar as 500 opções e zerar a posição vendida nessas opções.

      E no momento que recomprou as 500 opções, não possui mais nenhum compromisso de venda das ações em caso de exercício. Portanto teu resultado na operação será dado apenas pelo cálculo:

      (preço lançamento da opção - preço recompra da opção) x quantidade

      O lançamento descoberto de opções call é sempre muito arriscado. Não há limite de prejuízo. Por exemplo, imagina que tu lançou as opções e depois do pregão sai uma notícia muito positiva para aquele papel. No dia seguinte as ações e as opções já abrem com um forte gap, e você não terá o que fazer a não ser amargar um prejuízo que pode ser muito alto.

      Excluir
    2. O que eu quis dizer no inicio foi que, pelo swing trade, eu primeiro comprei 500 e depois vendi essas 500 (isso não é o mesmo que "lançar" 500 opções?)... mas de qualquer forma, de novo, pelo swing trade, eu recomprei essas 500 opções para não correr o risco de prejuizo infinito rs... tomei um pequeno prejuízo, mas foi limitado. Creio que agora tô sem risco nenhum, pelo que vc explicou.

      Excluir
    3. Se tu comprou 500 e depois vendeu 500, não é lançamento de opções. Lançamento de opções é quando tu vende as opções sem ter elas (ou seja, tu fica com a quantidade negativa dessa opção em custódia). No teu caso como comprou 500, era o titular da opção, e depois quando vendeu zerou a posição a comprada.

      Excluir
    4. Blz!! Muito obrigado pelo esclarecimento!

      Excluir

Postar um comentário