Vale a pena diversificar sua carteira de ações?

Na bolsa de valores é importantíssimo encontrar maneiras de diminuir os riscos e aumentar a probabilidade de ganhos, pois é impossível prever o futuro de uma empresa com exatidão. Uma das maneiras de conseguir isso é através da estratégia de diversificação. Neste artigo vamos entender como a diversificação pode reduzir os riscos e aumentar os lucros da carteira do investidor.

Se estamos admitindo que é impossível prever o futuro, também estamos admitindo que os resultados nem sempre serão vencedores na bolsa de valores. Por isso não podemos depender de um único resultado. A solução para esse “problema” é aumentar o número de ações em carteira. Vejamos o exemplo abaixo:

Um investidor separou 10 ações que, após muito bem analisadas, ele julgou serem promissoras e ter potencial de valorização de 30% cada uma. Partindo do princípio que todas as ações foram muito bem analisadas e que todas são promissoras, as ações devem ter valorização, com exceção daquelas que pregarem “surpresas” impossíveis de prever nas análises.

Passado determinado tempo, ele conferiu os resultados: 30% das apostas geraram grandes perdas, porém 70% delas geraram resultados positivos que compensaram as perdas e ainda deixaram o deixaram com lucro de 6,8%.

Diversificando na Bolsa de Valores

Agora imagine que esse investidor tivesse apostado em apenas uma ação. Poderia ter o azar de pegar uma das que deram resultado negativo e perdido grande parte do capital, o que levaria muito tempo para recuperar (se é que iria conseguir recuperar) ou ter apostado naquela que não rendeu nada. O mais importante é que ele conseguiu preservar o capital.

Mas é preciso entender que não se deve diversificar apenas por diversificar. É importante que o investidor faça um bom estudo fundamentalista de cada ação e encontre motivos para fazer a compra de cada uma delas. Além disso, ele deve ter um número de ações que consiga dar a mesma atenção a todas no que se refere ao acompanhamento.

Diversificando comprando ações de empresas de setores diferentes

Não é difícil perceber que cada setor reage de uma forma diferente a um mesmo cenário econômico. Isso ocorre porque cada setor está "atrelado" a riscos diferentes. Justamente por isso, analisar os itens abaixo é fundamental para escolher, da melhor forma possível, os ativos que vão compor sua carteira.

✔ Ambiente regulatório: Um bom ambiente regulatório é gerado por um marco regulatório claro e bem concebido. É de grande importância para que haja confiança de investidores e consumidores e, consequentemente, para o bom andamento de um setor. São regras rígidas que regulam o funcionamento dos setores nos quais agentes privados prestam serviços de utilidade pública. Exemplo: Setor de Telefonia (Anatel), Setor de Energia Elétrica (Aneel), Setor de Rodovias (ANTT), Setor de Petróleo (ANP) e etc. 

✔ Receitas em Dólar: Setores que dependem mais de importações são prejudicados com a alta do dólar, enquanto os que possuem receita em dólar (exportadores) se beneficiam. 

✔ Governança Corporativa: Maior nível de Governança Corporativa gera maior confiança de seus investidores. 

 Capitalização: Verificar se é um setor representativo (tamanho das empresas). 

✔ Liquidez: Um setor em que as empresas apresentam maior liquidez está mais preparado para superar períodos de fluxos de caixa reduzidos nas desacelerações do mercado. OBS: Uma liquidez é eficaz quando os meios de pagamento se convertem rapidamente em dinheiro a tempo de cobrir as obrigações que a empresa possui. 

✔ Tributação: Verificar qual o tratamento tributário do setor. Tem algum tipo de benefício? 

✔ Oferta/Demanda: Analisar a Oferta e Demanda do produto do setor, pois esses itens têm influência direta nos preços. Setores que estão enfrentando aumento de concorrência, por exemplo, podem ter desequilíbrios devido às mudanças nos preços dos produtos. 

✔ Taxas de Crescimento: Verificar se o setor cresce ou já está maduro. 

✔ Exposição Externa: Por exemplo, setores com empresas que possuem dívida em moeda estrangeira. Disparada na cotação dessa moeda pode leva-las até ao prejuízo. Ou setores que podem ser afetados por barreiras comerciais (restrições às importações, impostas pelos governos dos países, para proteger os negócios internos ou o bem-estar de seus cidadãos). 

✔ Mercados de Atuação e Diversificação Regional: Setores que possuem estratégias de expansão de mercados de atuação e de diversificação regional privilegiam mercados relativamente abertos. Isso diminui, por exemplo, os efeitos da sazonalidade do produto e de crises de demanda localizadas. 

➔ Vale a pena ter duas empresas do mesmo setor na carteira? Essa é uma pergunta que muitos se fazem. Enfim, você até pode ter dois papéis de empresas do mesmo setor na carteira, desde que este tenha potencial de crescimento. Provavelmente uma dessas empresas aproveitará de forma mais agressiva o bom momento e conseguirá melhores resultados - resultando em uma maior alta em suas ações.

Conclusão:

Como a diversificação alia um risco menor com e rentabilidade esperada maior, ela agrada todos os tipos de investidores, de conservadores a arrojados. Mas por que diversificar aumenta os lucros?

É simples: trabalhar com apenas uma ação, pode gerar resultados extraordinários, até que ocorra um erro, o que acontece com todos na bolsa de valores uma hora ou outra. Esse erro pode anular lucros acumulados de anos, ou até “evaporar” com o capital do investidor. Por isso, no longo prazo o investidor que diversifica tende a ter uma rentabilidade maior que o investidor que foca em apenas uma ação.

Comentários