Planilha Ações: Cálculo IR e Controle de Operações

Planilha IR Ações, Opções e Day Trade Mini Dólar e Mini Índice
Planilha para cálculo de imposto de renda e controle de operações comuns e day trade na bolsa de valores com ações, opções a seco e contratos futuros de Mini Dólar e Mini Índice (e também contrato cheio). Registre na planilha a compra e venda de ações e outros ativos e obtenha o valor de IR a pagar. Organize-se e fique em dia com a Receita Federal!

Última atualização: 02/10/2018
CLIQUE AQUI para fazer download da planilha

Necessitando de suporte para o preenchimento das operações na planilha e dúvidas na declaração do imposto de renda, envie e-mail para:
forumtraderbolsa@outlook.com

Nosso Twitter: https://www.twitter.com/TraderBolsa

Leia também:
Como calcular o I.R em operações com Ações e Opções
- Entenda o IRRF na nota de corretagem
Não deixe de declarar suas operações na bolsa
Como preencher DARF 6015

Como modificar a planilha?
A planilha possui todas as fórmulas abertas e por isso é possível atualizar as tarifas e fazer adaptações para, por exemplo, ela servir para apurar o imposto em operações de outros tipos de mercados (que não seja mercado de ações, mercado de opções a seco e day trade com Mini Dólar e Mini Índice).

Comentários

  1. Fabio bom dia,
    primeiro gostaria de parabenizar pelo seu trabalho, em ajudar as pessoas..

    Estou com uma duvida em sua planilha ( que por sinal é uma das mais fáceis que já utilizei)
    no campo de informações, é informado o seguinte : IMPORTANTE 1: Para cada mês usar uma planilha diferente

    neste caso seria planilhas diferentes ou abas?!
    pois comecei agora e não trabalho com muitos papeis mensais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Levi! Tudo bem?

      Sobre tua dúvida: São planilhas diferentes. Para cada mês tu vai ter um ARQUIVO da planilha diferente. As ABAS são apenas para tratar separado operações normais e operações day trade.

      Alguns pontos importantes:

      1) Mesmo que tu esteja trabalhando com poucos papeis, é obrigatório tratar cada mês em uma planilha diferente.

      2) Se tu comprar uma ação em janeiro e vender ela em março, este negócio (tanto a compra como a venda) vai entrar na planilha do mês de março. Pois o fato gerador do IR ocorre na finalização do negócio.

      3) Ainda considerando o ponto que comentei acima (se você comprou a ação em janeiro e só foi vender em março). Para um controle opcional, essa ação poderia ser coloca na ABA de "posições abertas" de JANEIRO e também de FEVEREIRO. Em MARÇO, mês da finalização do negócio, aí sim você lança na ABA de operações normais, com dados de compra e venda.

      4) Para ficar organizado, você pode criar uma pasta em teu computador. Ex: "Imposto Ações 2016". Dentro dela você já salva 12 vezes esse arquivo da planilha e renomeia cada um colocando o nome dos meses "Janeiro, Fevereiro, Março, Abril, e assim por diante"

      5) Se o mês não teve negócio e também não terminou com nenhuma ação em carteira, simplesmente deixa ela em branco.

      Se tiver mais alguma dúvida é só falar.
      Abraços!!

      Excluir
    2. Fabio, comigo tudo otimo,

      Mas uma vez agradeço pela resposta e pelos ensinamentos nela contido.

      Excluir
  2. Boa tarde, me surgiu uma dúvida com relação ao IR para opções. Lancei uma opção de compra. Posteriormente, eu comprei a mesma opção para fechar a operação. Esse valor gasto nessa compra da opção pode ser usado como custo da operação (assim como os emolumentos, corretagem, etc) para descontar do IR a ser pago?
    desde já agradeço,
    daniel fernandes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Daniel!

      Sim, nesse caso o valor da compra da opção deve ser descontado. O teu lucro nessa operação é calculado assim: (preço do lançamento da opção - preço da compra) x quantidade... do resultado ainda desconta todos os custos de operação (corretagem, emolumentos, etc) e depois calcula o IR.

      Se você está usando a planilha de IR disponibilizada no post, coloque o preço de lançamento na VENDA e o preço dessa posterior compra que fechou a operação, na COMPRA.

      abraços!
      Fábio

      Excluir
    2. Fiz o mesmo, interessante que o tempo "Dias" ficou "-7".

      Excluir
    3. Olá Malanar, no caso de uma operação vendida (lançamento de opção) o número de dias na planilha ficará como negativo. Isso indica que a venda foi feita antes da compra.

      Excluir
  3. Boa Noite, Fábio, parabéns pelo seu trabalho, mas gostaria de saber se você não tem uma planilha para controlar o mini-índice do BM&F. Obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Se fiz um daytrade com uma mesma ação que já tinha em carteira por mais de um dia. Como faço o cálculo do valor médio de compra? Posso fazer esse cálculo considerando o valor médio até o dia do daytrade? Ou devo calcular o valor médio num daytrade apenas com as compras realizadas naquele dia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá David! O cálculo deve ser feito apenas com o valor médio das compras realizadas NO DIA do day trade. Abraços!

      Excluir
    2. David! Outra situação que pode acontecer é a seguinte:

      Você compra 500 ações a R$ 5,00 e depois compra mais 500 ações a R$ 4,90 (tudo NO MESMO DIA). No final desse dia vende 500 a R$ 5,20 e as outras 500 ficam em carteira.

      Para feito de IR, o preço de compra do day trade deve ser visto pela ordem das operações. Então ficaria compra a R$ 5,00 e venda a R$ 5,20 de 500 ações.

      As outras 500 ficariam com preço de R$ 4,90, mas para operações comuns.

      Mas e se tivesse vendido 700 ao invés de 500?
      O preço de compra no day trade ia ser calculado pelo preço médio de 500 a R$ 5,00 e 200 a R$ 4,90...

      Enfim, pela ordem da operações.
      Se tiver alguma dúvida quanto a isso vai comentando.

      Abçs

      Excluir
    3. Perfeito! Tirou minha dúvida. Obrigado!

      Excluir
  5. Boa noite.
    Obrigado pela planilha.
    Pode confirmar se a base para a isenção do IR até 20 mil reais é a soma do mês do valor das vendas normais + as vendas day-trade?
    Ex:
    Vendas normais = 19 mil reais
    Vendas day-trade = 1 mil
    Somou 20 mil, então as vendas normais, 19 mil, ficaram isentas do recolhimento dos 15% do IR.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sérgio! Tudo bem?

      A isenção só vale para quem vendeu até 20 mil em ações no mês. Então para saber se você está isento ou não, devem ser levadas em conta todas as vendas NORMAIS E DAY TRADE de AÇÕES (vendas relativas a mercado de opções não entram na soma).

      Ou seja, se você vendeu R$ 19.000,00 de normal e R$ 1.000,01 de day trade (de ações) você perde a isenção.

      Essa é uma questão que quase sempre gera confusão, pois muita gente acha que, por ser uma isenção de IR para operações normais de ações, deve somar apenas as vendas normais c/ ações.

      Abraços!

      Excluir
    2. tem um negocio estranho ai nessa resposta

      Excluir
    3. Boa tarde! Sugiro a leitura do item “O valor das operações day trade contam no somatório do limite de isenção (R$ 20 mil)?” neste artigo do Infomoney https://www.infomoney.com.br/minhas-financas/impostos/noticia/2345143/renda-variavel-isencao-imposto-causa-duvida-entre-investidores

      Abçs

      Excluir
  6. Estou com a seguinte dúvida. Digamos que comprei 4.500 de uma ação X a 2,20 em maio e que em junho comprei mais 2.000 do mesmo papel a 2,16. Em julho vendi 4.000 dessas ações a 2,40. Qual data coloco na "Data de Compra" e qual valor coloco em "R$ Comprado"?
    Rafael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafael! Na verdade a data de compra é indiferente, existe o campo ali mais é para controle. O importante nesse caso é saber que foi uma operação normal finalizada em julho. Pode colocar, por exemplo, a data da primeira compra do negócio (que foi em maio).

      O valor de compra nesse caso é a média encontrada de 4.500 a 2,20 + 2.000 a 2,16. Ou seja: R$ 2,1877.

      Na planilha vai ficar valor de compra R$ 2,1877, quantidade 4.000 e valor de venda R$ 2,40.

      (ainda vão sobrar 2.500 com preço médio de R$ 2,1877)

      Abçs!

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta e já preenchi aqui. Só uma outra dúvida. O prejuízo eu carrego de um mês para o outro só ou até que ele se dilua? Maio tive prejuízo e junho não tive volume para pagar imposto e tive mais um pouco de prejuízo. O prejuízo de maio pode se somar ao de junho e abater o imposto a pagar de julho ou teria que ter acabado em junho e só carrego pra julho o prejuízo de julho?
      Rafael

      Excluir
    3. O prejuízo você carrega até ele se diluir, mesmo que isso ocorra só depois de anos (nunca esqueça de colocar os prejuízos na declaração de imposto anual).

      Então, sobre tua dúvida a resposta é: pode somar o prejuízo de maio ao de junho e abater do imposto a pagar de julho.

      A única coisa que tem "prazo" é o IRRF (imposto retido na fonte) que pode ser usado para abater do imposto a pagar até o final do ano que foi gerado.

      Qualquer outra dúvida só falar!

      Excluir
  7. Bem legal a sua planilha Fábio! ela ajuda a calcular o IR exatamente.

    Depois dá uma olhada nessa planilha que comprei semana passada. Ela faz o cálculo do IR, atualiza as cotações e faz todos os cálculos automaticamente conforme a seleção da corretora. O site é esse: http://promova-br.com.br/controle-de-investimentos-em-acoes/

    Abraços

    ResponderExcluir
  8. mas e quando faço 1º uma venda e depois a compra em day trade ? ex vendo 100 usim5 a 2,50 e depois compro a 2,45 ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Hugo! Isso é um day trade com venda a descoberto. Na planilha você iria preencher essa operação na parte de "Operações Day Trade com Ações", com os seguintes dados:

      Ativo USIM5 | Quantidade 100 ações | R$ Cp 2,45 | R$ Vd 2,50.

      Veja que independente da ordem, a venda irá ser colocada na coluna de venda (R$ Vd) e a compra na coluna de compra (R$ Cp).

      Vai perguntando qualquer outra dúvida! Abçs

      Excluir
  9. Sensacional a planilha me ajudou bastante a aprimorar meus controles e apoiar com a tributação de impostos.
    Muito obrigado por compartilhar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário Paulo! Diariamente estou analisando pontos que podem ser melhorados na planilha, para torná-la mais simples para entendimento e uso de todos. Cada alteração será compartilhada aqui. Abraços

      Excluir
  10. Olá amigo,

    Eu faço pouco Day Trader, mas acaba acontecendo. Fiquei com R$25,76 de lucro em Day Trader (Na verdade foi para escapar de uma queda em ações mal calculada) e o calculo da planilha ficou em R$4,89.

    A planilha deixou este valor em "IMPOSTO A PAGAR". Este valor não deveria ficar em "IRRF ACUMULADO" ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luiz Daniel! Muito bom saber que a planilha está ajudando.

      Quanto a sua dúvida: Não, pois IRRF é imposto retido na fonte (a própria corretora faz a retenção disso, que serve como um "dedo-duro" para a receita federal).

      Prosseguindo... como o IRRF é uma pequena antecipação do pagamento do IR, ele pode ser deduzido depois quando tu for recolher os 15% (normal) ou 20% (day trade) do lucro.

      Então é o seguinte: esse valor de R$ 4,89 de imposto de Day Trade é realmente o que faltou ser recolhido em cima desse lucro de R$ 25,76. Foi gerado através do cálculo de 20% em cima do lucro de R$ 25,76 menos IRRF's retidos no mês e/ou que estavam acumulados de meses anteriores.

      Mas como só é possível preencher DARF de valor maior que R$ 10,00, você deverá ficar atento que falta pagar R$ 4,89 de IR. Quando você irá pagar isso? Você soma esse valor aos impostos dos próximos meses e quando alcançar o mínimo de R$ 10,00 você paga.

      OBS: Inclusive se você tiver que pagar IR em cima de operações normais, você soma esse valor de R$ 4,89 no valor da DARF. Pois pode pagar tudo em uma única guia.

      Era essa a dúvida?
      Abçs!

      Excluir
    2. Luiz Daniel, vou tentar deixar mais claro alguns campos de IRRF que existem na planilha. Vamos lá (se tu não entender algo, me avisa):

      1) Na linha 65 temos "IRRF MÊS". É referente ao imposto retido na fonte no mês de apuração. Na aba de "Instruções" da planilha há uma pequena explicação sobre como ocorrem essas retenções na fonte (caso sua planilha não tenha essa explicação, baixe a versão mais nova que está lá na postagem).

      2) Já na linha 67 temos o "IRRF ACUMULADO MESES ANTERIORES (SE HOUVER)". O valor que você preenche nesse campo é o que ficou em "IRRF ACUMULADO (PRÓXIMOS MESES)" da planilha de apuração do mês anterior.

      3) IRRF ACUMULADO (PRÓXIMOS MESES) na linha 73: O investidor pode ter imposto retido na fonte durante o mês, só que ter terminado o mês com prejuízo. Nesse caso todo o IRRF que foi pago (ou melhor dizendo: retido automaticamente durante o mês), ainda pode ser usado para abater o pagamento de IR de meses subsequentes.

      Esse campo é automático, mas o número que fica nele precisa ser transportado manualmente para o campo "IRRF ACUMULADO MESES ANTERIORES (SE HOUVER)" da planilha do próximo mês de apuração.

      Excluir
    3. Olá, estava procurando essa informação um tempão. Olha não seria interessante colocar mais dois campos na planilha na aba "Resumo Imposto": "1: 'Imposto a Pagar Acumulado de Meses Anteriores' e 2: 'Imposto a Pagar Acumulado para o mês seguinte'" nos casos de imposto a pagar abaixo dos 10,00 e colocar no campo "imposto a pagar" somente quando o valor for maior ou igual a 10,00. Fica como sugestão, ou então, colocar uma observação na aba "Instruções" sobre o valor ser menor que 10,00.

      Excluir
    4. Olá Leonardo! Ótima sugestão. Adicionei a explicação na aba "Resumo Imposto", abaixo de "Imposto a pagar". Abraços

      Excluir
  11. Fabio, parabéns pela eficiente planilha e por ajudar-nos.
    Estou iniciando em renda variável e tenho uma duvida, nas abas de venda, no campo valor de compra sempre devo lançar o preço médio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá heliomaga! Tudo bem? Sim, deve sempre usar o preço médio.

      Você compra dia 01/07/2016 300 ABCD4 a 10,00.
      Você compra dia 02/07/2016 300 ABCD4 a 9,00.
      Você compra dia 03/07/2016 500 ABCD4 a 8,00.
      Você vende dia 15/07/2016 600 ABCD4 a 11,00.

      Teu preço médio de compra fica (R$ 3.000,00 + R$ 2.700,00 + R$ 4.000,00) / 1100 = R$ 8,818. Nesse caso, você preenche o negócio na planilha de operações normais assim:

      Ativo: ABCD4 | R$ Cp: R$ 8,818 | Quantidade 600 | R$ Vd 11,00

      * No exemplo, você ainda ficaria com uma posição de 500 ABCD4 a R$ 8,818.

      No caso de uma operação day trade você já deve ficar atento a ordem que ocorreram os negócios.

      Você compra dia 01/07/2016 300 ABCD4 a 10,00.
      Você compra dia 01/07/2016 300 ABCD4 a 9,80.
      Você compra dia 01/07/2016 500 ABCD4 a 9,60.
      Você vende dia 01/07/2016 600 ABCD4 a 10,00.

      Você preenche o negócio na aba de operações day trade, mas teu preço médio de compra, nesse caso, é entre tuas duas primeiras compras (PM de 9,90).

      Ativo: ABCD4 | R$ Cp 9,90 | Quantidade 600 | R$ Vd 10,00

      * Ao final desse dia você ainda ficaria com uma posição de 500 ABCD4 a 9,60.

      Se ficou mais alguma dúvida, vai perguntando!
      Abraços

      Excluir
    2. Muito agradecido Fabio. Deus o abençoe!

      Excluir
    3. Fabio, "explorando" um pouco mais de sua ajuda, gentileza me esclarecer um caso.: Comprei no dia 01/08 1000 ações de ABCD4 a 11,27.
      No dia 02/08 (as 11:00 hs) vendi estas 1000 ações por 11,95; e no decorrer do dia as ações cairam e às 17:00 hs comprei mais 1000 ações deste mesmo ativo por 11,38. Isto gerou um daytrade? como fica neste caso o Preço medio? Desde já agradeço!

      Excluir
    4. Olá heliomaga! Exatamente, gerou um day trade. Na planilha você coloca a seguinte operação na parte de "operações day trade com ações":

      Ativo ABCD4 | R$ Cp: 11,38 | Quantidade: 1000 | R$ Vd: 11,95.

      No final desse dia você continuará com as 1000 ações de ABCD4 a R$ 11,27. Veja que a operação day trade é com os preços da venda e recompra do dia 02/08, e isto não mexeu com teu preço médio da "operação normal" que você iniciou em 01/08.

      Mas, vamos supor que você tivesse recomprado as 17h 1200 ações a R$ 11,38. Aí você teria a mesma operação day trade que falei acima, mas teu preço médio de compra para a operação normal (que estaria ainda em aberto) mudaria para: (11.270,00 + 2.276,00) / 1200 = 11,288.

      Sendo que os 11.270 vem de 11,27 x 1000 compradas no dia 01
      e os 2.276,00 vem das 200 a mais da recompra a R$ 11,38.

      Abraços!

      Excluir
    5. Valeu! Obrigado mais uma vez!

      Excluir
  12. Obrigado por disponibilizar esta planilha. Está sendo de grande ajuda.

    E além da planilha, todo o conhecimento do site.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado William! Se tiver qualquer dúvida na utilização da planilha ou alguma dúvida em algum artigo do blog, só postar nos comentários. Abraços

      Excluir
  13. Boa noite Fábio!
    Primeiramente gostaria de parabeniza-lo pela dedicação com que você atende às solicitações dos leigos.Por favor me dê uma ajuda:
    1)Em 29/07/2016, você orientou o amigo Luiz Daniel sobre Long & Short.Porém, estou confuso:No caso, está considerando as operações finalizadas certo?Como fica uma operação em aberto?Vamos às hipóteses:
    Início das operações 15/07/2016.(valores x 2, para excluir a isenção IR)
    compra 1900 AÇÕES RUMO3 X $11,86=$22.534,00.
    venda 200 AÇÕES BOVA11 X $109,60=$21.920,00.(tomei por aluguel).
    "vou vender BOVA11(que aluguei), para então comprar RUMO3.
    2)Como ficam os lançamentos nas planilhas?Digamos que a operação ainda
    esteja pendente em agosto e eu comprei em 01/08/2016 500 AÇÕES RENT3 X
    $40,00=$20.000,00 e em 12/08/2016 as vendi por (500 RENT3 x $42,00)=
    $21.000,00.Terei de declarar IR.Recupero a perda da operação 1)?Como demonstro, são ativos diferentes?
    Desculpe, se me alonguei.Como já informei sou leigo no assunto.
    Um abraço!
    Guilherme.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Guilherme, tudo bem? Vamos lá:

      Para cada mês de apuração você deve ter uma planilha diferente. Dica: crie no seu computador uma pasta "Imposto Ações 2016" e salve 12 vezes esse arquivo da planilha. Renomeie os arquivos para "Janeiro2016" , "Fevereiro2016", e assim por diante.

      1) Agora com base nas informações que você me deu, na planilha de Julho2016 você teria terminado com duas POSIÇÕES ABERTAS. Uma "operação comprada" e uma "operação vendida". Essas operações iriam ser colocadas na aba específica para esses casos, em "POSIÇÕES ABERTAS".

      Uma posição aberta COMPRADA de 1900 ações RUMO3 a R$ 11,86
      Uma posição aberta VENDIDA de 200 ações BOVA11 a R$ 109,60

      Esqueça que existe alguma ligação entre essas operações (como eu comentei com o Luiz Daniel, Long & Short é apenas o nome de uma estratégia). Ou seja, a operação de RUMO3 será concluída quando você vender as 1900 RUMO3. A operação de BOVA11 será concluída quando você comprar as 200 BOVA11. E o fato gerador de IR ocorrerá nesse momento de conclusão das operações.

      2) Se você terminou Agosto de 2016 com as duas operações comentadas no "item 1" ainda em aberto e apenas fez essa operação com RENT3 no mês. Na aba "Operações Normais" da planilha Agosto2016 você teria o seguinte negócio:

      Data Cp: 01/08/2016 | Ativo RENT3 | R$ Cp: 40,00 | Quantidade: 500 | Data Vd: 12/08/2016 | R$ Vd: 42,00.

      E na aba "Posições Abertas" da planilha Agosto2016 você repetiria as duas operações que continuaram abertas:

      Uma posição aberta COMPRADA de 1900 ações RUMO3 a R$ 11,86
      Uma posição aberta VENDIDA de 200 ações BOVA11 a R$ 109,60

      O mês de agosto você ficou sem isenção de IR (ultrapassou 20k de vendas de ações) e teria que pagar IR sobre o lucro do mês (no caso gerado pela operação normal com RENT3).

      3) Indo um pouco mais além, você falou "Recupero a perda da operação 1)". A operação que você comentou no item 1 não gerou prejuízo. Você apenas saberá o resultado dessas operações no momento que vender RUMO3 e recomprar BOVA11.

      No mês que você fechar essas operações, você não terá mais elas em "Posições Abertas". Elas irão para a aba de "Operações Normais" > "Operações Normais Ações". Então vamos supor que você desfez em SETEMBRO sua operação Long&Short. Para isso:

      Comprou dia 01/09/2016 BOVA11 em R$ 100,00
      Vendeu dia 01/09/2016 RUMO3 a R$ 12,00

      Na planilha Setembro2016 você teria 2 negócios em "Operações Normais" > "Operações Normais Ações":

      Data Cp: 29/07/2016 | Ativo RUMO3 | R$ Cp: 11,86 | Quantidade: 1900 | Data Vd: 01/09/2016 | R$ Vd: 12,00.

      Data Cp: 01/09/2016 | Ativo BOVA11 | R$ Cp: 100,00 | Quantidade: 200 | Data Vd: 29/07/2016 | R$ Vd: 109,60.

      Perceba que agora você não colocará mais essas operações na aba "POSIÇÕES ABERTAS", pois estarão concluídas e agora sim preenchidas na aba de apuração de IR.

      OBS: Se você analisar a planilha, verá que que a aba POSIÇÕES ABERTAS não faz parte da apuração do IR, pois o fato gerador do IR acontece na conclusão dos negócios.

      Não sei se consegui deixar a explicação clara, se ficou dúvidas vai postando aqui nos comentários.

      Abraços!

      Excluir
  14. Bom dia Fábio!
    Sinceramente, entrei somente para ver como "andavam"as conversas...
    E você já havia me respondido desde de ontem e de forma absolutamente clara!
    Entendi perfeitamente sua explicação.
    Sinto mais confiança para operar Long & Short.
    Talvez surjam mais dúvidas adiante.Porém, sei que posso contar com seu apoio.
    Muito obrigado!!!
    Um abraço!
    Guilherme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Guilherme! Com certeza, pode ir colocando as dúvidas aqui sempre que precisar. É bem normal que no começo surjam algumas dúvidas no preenchimento da planilha. Depois que "pegar o jeito", aí você verá que preencher as operações na planilha é bem mais fácil do que parece. Abraços

      Excluir
  15. Boa noite,
    Duvida boba e rápida....
    Suponha que eu comprei PETR4 em 3 dias distintos no mês e no final do mês vendi tudo.
    na Planilha vou registar as 3 compras numa única linha e com o valor médio ? Eu não terei o controle que efetuei 3 compras, é isso ? Corretagem preciso somar os 3 gastos..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Marcelo! Exatamente, deve lançar tudo em uma única linha considerando o preço médio das 3 compras. E somar os gastos com corretagem das 3 operações. Abraços

      Excluir
  16. Fabio, Obrigado pelos esclarecimentos e disponibilidade da planilha. Me tire outra duvida, Estou mudando de corretora e por algum tempo estarei simultaneamente em duas...O IR é cobrado sobre o total do CPF ou de acordo com o valor de cada corretora, ex. Caso eu venda R$ 10.000,00 em uma corretora e R$ 12.000,00 em outra, teria que somar? Em ambas estou abaixo de R$ 20.000,00,
    Desde já agradeço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde heliomaga! O IR deve ser apurado por CPF. Deve somar as vendas de ações de todas as corretoras para verificar se está dentro do limite de isenção. Nesse exemplo que você deu, você estaria com R$ 22.000,00 em vendas e portanto sem isenção.

      Abraços

      Excluir
  17. Bom dia Fabio,

    Parabéns pelo trabalho, sua planilha ajuda muito! Vi que nas últimas alterações você unificou o imposto em uma única planilha com o resumo do imposto. Neste mês, pela primeira vez, terei que pagar IR para operações normais e DT. Eu posso pagar tudo em um único DARF?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Silvio! Tudo bom? Sim, apesar de a apuração precisar separada, no final pode pagar tudo em uma única DARF (código 6015). Qualquer outra dúvida vai perguntando aqui. Abraços

      Excluir
  18. Bom dia Fábio!
    Por favor, tenho mais uma dúvida sobre IR nas operações com ações:
    Na compra de ações, tenho objetivos diferentes para o portfólio,curto, médio e longo prazos.Daí, a minha dúvida, por exemplo:
    Comprei BBAS3(Pensando no longo prazo).
    24/6/2016>200x$15,86.
    12/8/2016>400x$22,18.
    15/8/2016>100x$22,85.
    Comprei BBAS3(Pensando no curto prazo).
    30/8/2016>200x23,80.
    Posso vender ações adquiridas em 30/8/2016, tendo como base para IR somente esta operação?
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Guilherme! Infelizmente não poderá utilizar apenas o preço das ações adquiridas em 30/8/2016. Ou seja, qualquer venda que você fizer vai precisar considerar o preço médio da carteira como base para o cálculo do IR (e pelo teu exemplo seria um preço médio de R$ 21,21). Abraços

      Excluir
  19. Bom dia Fabio!

    Obrigado pelos esclarecimentos.

    Então, em quanto houver estoque de BBAS3, há que se considerar o preço médio de todas as aquisições?Quero dizer, a cada operação de venda terei de calcular um preço médio novo, caso venha a comprar mais algum lote de BBAS3?

    Desculpe pela minha ignorância, mas as somente suas respostas são simples e diretas, bem esclarecedoras.

    Um abraço!




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Guilherme, sempre terá que estar com preço médio atualizado. Vamos seguir teu exemplo de BBAS3:

      Tinha 4 compras:
      24/6/2016>200x$15,86.
      12/8/2016>400x$22,18.
      15/8/2016>100x$22,85.
      30/8/2016>200x$23,80.
      PREÇO MÉDIO = R$ 21,21

      Dia 08/09/2016 vendeu 200 a R$ 24,00.

      Na planilha - mês de setembro - você terá uma operação normal de 200 ações BBAS3, com preço de compra R$ 21,21 e venda R$ 24,00.

      No dia 11/10/2016 você compra 300 BBAS3 a 20,00. Agora você terá que recalcular o PM: Você ainda tinha 700 a R$ 21,21 e agora vai entrar mais 300 a R$ 20,00. Novo preço médio vai virar R$ 20,847

      E se vender depois, vai ter que usar esse novo preço médio de compra ( R$ 20,847).

      * Única situação que não altera preço médio da carteira, são os day trades. Aí os valores da operação day trade são exatamente aqueles das operações realizadas no dia. E o teu PM da "operação normal" que tiver aberta vai continuar igual.

      Por exemplo, volte nosso exemplo e imagine que dia 08/09/2016 você vendeu aquelas 200 a R$ 24,00 e recomprou no mesmo dia a R$ 23,50. No final desse dia você teria um day trade de 200 BBAS3 no mês de setembro com compra R$ 23,50 e venda R$ 24,00. E você iria continuar com uma carteira de 900 a preço médio R$ 21,21.

      Abraços

      Excluir
  20. Boa tarde Fabio!

    Mais uma vez eternamente agradecido por seus ensinamentos!

    Entendi perfeitamente.Como já disse sou iniciante, e creio que terei de ter um controle sobre operações futuras.

    Esse controle seria através da Planilha "Posições abertas-compradas"?

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Guilherme! Isso, para esse controle das ações que estão em carteira (ou em custódia, como você preferir chamar), você usa essa parte de "posições abertas - compradas". Ali você vai organizando toda essa parte do preço médio da posição. Abraços

      Excluir
  21. Boa tarde Fabio!

    Mais uma vez muito obrigado!

    É muito bom poder contar com suas orientações.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde Fabio, mais uma questão:
    Tenho ficado em duvida, qual data lanço na a aba "Operações Normais" "Data Cp" quando vendo um montante que é soma das ações adquiridas em varias datas, Ex.
    Compra de ABCD4:
    300 ações em 04/07 + 300 ações em 15/08 +400 em 01/09...
    Ao vender as 1000 ações, a data teria relevância neste caso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Hélio! A data de compra não tem relevância neste caso. Você pode simplesmente lançar a data da primeira compra, ou a que tu preferir para teu controle... O que realmente tem relevância é o preço médio das compras citadas e o mês que ocorreu a venda das 1000 ações (pois é a venda que é o fato gerador do IR). Abraços

      Excluir
  23. Boa tarde Fábio!

    Se você me permitir, vou aproveitar a dúvida do amigo Hélio, e solicitar mais uma vez a sua ajuda:

    No lançamento da planilha, como ficariam os custos de aquisição.Por exemplo, uma venda parcial de apenas 700 ABCD4?

    Cada vez, que um amigo lhe indaga algo, me vem a pergunta:E se...

    Acho que faz parte do aprendizado, não é mesmo?

    Um abraço!

    Guilherme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Guilherme! Os custos precisam ser rateados conforme a quantidade. Agora como ficaria isso na planilha:

      1) Emolumentos (emolumentos + taxa de liquidação + taxa de registro): A planilha já vai ratear o custo conforme a quantidade do negócio. Não precisa se preocupar em alterar nada.

      2) Corretagem (lembrando que essa coluna é preenchida manualmente): Você vai ratear conforme a quantidade operada. Então por exemplo...

      Se você comprou 3 vezes ABCD4 e tua corretagem é de R$ 10,00, gastou R$ 30,00 para comprar 1000 ações. Se depois você vendeu 700, você terá que colocar a corretagem de compra proporcional a 700 ações relativas ao negócio. Então:

      1000 ações > R$ 30,00 corretagem
      700 ações > R$ 21,00 corretagem

      * No final desse negócio você ainda teria em carteira 300 ações de ABCD4 com gasto de R$ 9,00 em corretagem de compra.

      3) ISS é calculado automaticamente pela planilha, em cima do valor da corretagem, também não precisa se preocupar em alterar nada.

      Como você pode ver, só tem mesmo que acertar a proporção da corretagem. Restante já é "rateado" automaticamente.

      Abraços

      Excluir
    2. Complementando: caso você esteja querendo se referir ao preço de compra, este será a média das ações adquiridas até o momento da venda. Vou fazer um exemplo com base no caso que o Hélio passou:

      Compra 300 ações ABCD4 em 04/07 a 10,00
      Compra 300 ações ABCD4 em 15/08 a 9,00
      Compra 400 ações ABCD4 em 01/09 a 8,50

      Temos um preço médio de R$ 9,10

      Aí em 15/09 você vende 700 a 9,50. Então na planilha de apuração de setembro, você terá o seguinte negócio:

      Ativo: ABCD4
      Quantidade: 700
      R$ Cp: R$ 9,10
      R$ Vd: R$ 9,50

      E ao final você ainda terá em carteira 300 ABCD4 a R$ 9,10. De resto, é como expliquei acima, apenas faça o rateio da corretagem de compra (por ter vendido apenas 700 ações do total de 1000).

      Excluir
  24. Bom dia Fábio!

    Perfeito.Significa dizer que há de se fazer o controle de estoque em quantidade, preço médio e saldo das corretagens.Correto?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Corretíssimo Guilherme. E o segredo para nunca se perder no controle da posição/estoque é a cada compra (exceto compras para day trade) já atualizar o preço médio, a quantidade e marcar que houve mais uma corretagem de compra.

      Excluir
    2. Bom dia Fabio!

      Agora sim!Após sua dica ficou tudo mais fácil de se administrar os ativos para longo prazo.

      Mais uma vez agradeço sua orientações.Quando você usa os exemplos fica bem explicado.Suas instruções são por demais abrangentes.

      Parabéns pela dedicação!

      Um abraço!

      Excluir
  25. Oi Fábio,

    Parabéns pela iniciativa. Muito útil a planilha e bom aprendizado com as dúvidas nos comentários.

    Uma dúvida meio besta, mas é pra ter certeza...

    Se eu tive prejuízo em um determinado mês, mesmo tendo vendido acima do limite de isenção de 20K, precisa declarar alguma coisa? Onde fica registrado o "saldo negativo" a compensar em futuras alienações tributáveis?

    E se no mês seguinte eu tive lucro, mas os o IR (15%) devido foi menor que o prejú do mês anterior, mesmo alienando mais de 20K, preciso declarar alguma coisa?

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Armando. Não sei se entendi bem sua dúvida, mas creio que é relativa à declaração anual do IRPF, estou correto?

      Você deve declarar tudo que fez na bolsa, independente se teve lucro ou prejuízo e se estava isento ou não.

      Registre mês a mês os prejuízos e lucros em "Renda Variável" > "Operações comuns / Day-Trade". (se teve prejuízo em operações normais com ações e vendeu menos de R$ 20 mil em ações no mês, você também deve declarar esse prejuízo nesta parte)

      Já o LUCRO EM OPERAÇÕES NORMAIS COM AÇÕES ISENTO DE IR, por ter vendido menos de 20k em ações no mês, ao invés de colocar no local que indiquei acima, você coloca em “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis” > "Linha 18 - Ganhos líquidos em operações no mercado à vista de ações negociadas em bolsa de valores nas alienações realizadas até R$ 20.000,00, em cada mês, para o conjunto de ações".

      Abraços

      Excluir
    2. Oi Fábio. Agradeço a atenção. Minha dúvida é a respeito do IR mensal (DARF).

      Excluir
    3. Oi Armando, agora entendi. Na verdade você quer saber se teria que pagar algo. Nesta situação que você disse, não terá IR a pagar. Vamos imaginar que os meses que você se refere é AGOSTO e SETEMBRO. Na planilha vai ocorrer o seguinte:

      No mês de AGOSTO você teve prejuízo nas operações normais, portanto na aba "Resumo Imposto" da planilha ficará um valor em "SALDO DE PREJUÍZO A COMPENSAR (PARA PRÓXIMOS MESES)"

      Em SETEMBRO, você vai pegar esse saldo que ficou em "SALDO DE PREJUÍZO A COMPENSAR (PARA PRÓXIMOS MESES)" da planilha de AGOSTO, e colocá-lo em "PREJUÍZOS ACUMULADOS NOS MESES ANTERIORES (SE HOUVER)" da planilha de SETEMBRO.

      Abraços

      Excluir
    4. OK Fábio, então nesse caso não tem imposto a recolher (DARF) nem é necessário fazer nada além de guardar esses dados para a declaração anual. Obrigado.

      Excluir
    5. Exatamente isso Armando. Abçs

      Excluir
  26. Oi Fábio, mais uma dúvida: O PREJUÍZO A COMPENSAR acumulado em meses anteriores é subtraído do LUCRO OBTIDO "cheio" ou subtrai-se dos 15% do LUCRO OBTIDO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Armando! O prejuízo a compensar é subtraído do lucro obtido "cheio". Se após subtrair você constatar que há lucro, você calcula 15% em cima desse resultado (veja o cálculo da planilha disponibilizada na postagem). Exemplo:

      Em maio você teve prejuízo de R$ 500,00 em Op. Normais
      Em junho você teve lucro de R$ 700,00 em Op. Normais

      R$ 200,00 x 15% = R$ 30,00 de imposto. Após você ainda pode descontar, deste valor de R$ 30,00, o IRRF (IMPOSTO RETIDO NA FONTE) se houver acumulado.

      Fique atento, pois IRRF acumulado é uma coisa e prejuízos acumulados é outra. Na planilha existem campos específicos para você colocá-los na aba "Resumo Imposto".

      Abraços

      Excluir
    2. Agradecido Fábio. Na primeira pergunta/resposta tinha entendido que o prejuízo seria descontado só do imposto a pagar e não do lucro todo, mas ao lançar minhas notas de corretagem de 2016 na sua planilha veio IR a recolher por DARF e vim confirmar, pois havia entendido errado. Salvo por um triz, pois tenho até essa semana para recolher dentro do prazo.

      Novamente agradecido,

      Armando

      Excluir
  27. Boa noite! Armando, muito obrigado por disponibilizar a planilha. Este é o meu primeiro mês operando o mercado de ações e estou com alguma dúvidas. Realizei 02 operações long & short - klbn11 / suzb5 e brml3 / mult3. A primeira delas foi encerrada este mês, com lucro; a segunda encontra-se em aberto. O somatório de todas as vendas foi superior a 20.000, porém, as vendas da operação encerrada (primeiro venda de suzb5 e, ao final, venda de klbn11) não ultrapassaram 20.000. A minha dúvida, é se o que conta é o somatório de todas as vendas (mesmo as em aberto) ou somente as vendas da operações encerradas. Muito obrigado. Almyr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Almyr! Você deve contabilizar todas as vendas de ações realizadas no mês, mesmo as em aberto (proveniente de venda a descoberto iniciada no mês).

      Mas, perceba que a planilha não irá somar no cálculo da isenção a parte relativa à venda a descoberto em aberto iniciada no mês. Você precisará ajustar manualmente a célula F24 da aba "Resumo Imposto" e incluir também essas vendas de operações de venda a descoberto iniciadas no mês de apuração e não fechadas.

      OBS: Em breve estarei lançando uma atualização da planilha que resolve essa questão (e acabando com a necessidade de fazer esse ajuste manual).

      Abraços

      Excluir
    2. Boa noite Fabio, tem previsão pra esta alteração ? estou encalhado nesse problema rsrs

      Excluir
    3. Boa noite Renan! A alteração já foi feita. O campo não ficou automático, mas foi a maneira que encontrei para evitar erros nesse cálculo da isenção.

      Na aba "Resumo Imposto" existe o campo "VENDEU MAIS DE R$ 20.000,00 EM AÇÕES NO MÊS?", onde você deve apenas escrever SIM ou NÃO.

      * Deve considerar TODAS as vendas de ações independente se são provenientes de operações day trade, operações normais ou venda a descoberto que não tenha sido concluída no mês.

      ** Vendas de opções você não deve considerar.

      *** Para quem só opera comprado é bem fácil verificar se as vendas ultrapassaram R$ 20 mil. Basta somar as células G55 da aba "Operações Normais" e G55 da aba "Operações Day Trade".

      (quando digo operar comprado, significa só fazer operações que iniciam com a compra de uma ação e terminam com a venda da mesma)

      Abraços

      Excluir
  28. Boa tarde Fabio.
    Parabéns pela iniciativa. Está ajudando muito no meu controle.
    Tenho uma dúvida: Na aba Resumo, os dois campos de saldo de prejuízo a compensar para os próximos meses utilizam as fórmulas (J9-F9) e (J12-F-12).
    Porém, quando há prejuízo acumulado nos meses anteriores, este é um valor negativo. Se formos utilizar a fórmula, ela acaba somando lucro com prejuízo, pois subtrai um valor negativo, o que acaba gerando uma soma. Ex: F9 = -50,00 (prejuízo acumulado); J9 = 50,00 (lucro do mês)
    F9-J9 = 50-(-50) = 100; quando o correto seria 50-50=0
    A fórmula correta não seria J9 + F9 ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Cláudio!

      Perceba que nas instruções da planilha está escrito sobre os campos de prejuízo a compensar: O número deve ser representado SEM sinal de negativo.

      Portanto os números que você coloca em F9, F12 e também F20 da planilha devem ser informados sem o sinal de negativo.

      Agora veja o exemplo abaixo e verá que não irá somar lucro com prejuízo como você disse:

      Imagine que você lucrou 50,00 no mês em operações normais(este número irá constar em J9) e havia prejuízo acumulado de 50,00 (este número vai constar em F9, SEM SINAL DE NEGATIVO)

      J9 - F9 = 50,00 - 50,00 = R$ 0

      Qualquer outra dúvida só falar.
      Abraços!

      Excluir
    2. Grande Fábio
      Correto. Eu fiz uma modificação em que o prej/lucro acumulado é obtido diretamente da planilha do mês anterior e não havia me atentado às instruções, gerando esse erro.
      Agradeço pelo esclarecimento

      Excluir
  29. Respostas
    1. Olá. O cálculo de preço médio deve ser feito por você (manualmente). Apenas existe um quadro na aba "Posições Abertas" que funciona tipo uma calculadora para auxiliar no cálculo.

      Excluir
  30. Fábio, boa tarde! Tudo bem?

    "Descobri" sua planilha nesse último fim de semana, e comecei a utilizá-la imediatamente. Achei que ela está enxuta, clara, simples e objetiva. Parabéns! Era o que eu procurava fazia tempo.

    Li as dúvidas dos colegas e seus comentários, o que me esclareceu bastante. Mas durante o preenchimento da planilha, surgiu-me uma dúvida. Exemplifico:

    Mês 1:
    Saldo inicial de ações da empresa "ABCD" = 0 (zero).
    Compro 200 ações da empresa "ABCD":
    - Preço de compra = R$ 10,00 (cada).
    - Corretagem = R$ 15,00.
    Mantenho essas 100 ações por todo mês 1.

    Mês 2:
    Vendo as 200 ações da empresa "ABCD".
    - Preço de venda = R$ 11,00, cada.
    - Corretagem = R$ 15,00.
    Dias depois (no mesmo mês 2), compro 100 ações da mesma empresa "ABCD".
    - Preço de compra = R$ 12,00, cada.
    - Corretagem = R$ 15,00

    Como vou tratar esse ativo no Quadro de Operações Compradas (abertas) relativo ao mês 2?

    Você pode me orientar?

    Agradeço,

    Márcio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Márcio! Que bom que a planilha está ajudando. Sobre tua dúvida:

      A planilha do mês 1 você terá na aba "Posições Abertas" > "Quadro das Operações COMPRADAS (abertas)":

      Ativo: ABCD | Quantidade: 200 | R$ Cp: R$ 10,00 | Corretagens: R$ 15,00

      ---------------------------
      Na planilha do mês 2, na aba "Operações Normais" você terá a seguinte operação:

      Ativo: ABCD | Quantidade: 200 | R$ Cp: R$ 10,00 | R$ Vd R$ 11,00. (corretagem R$ 15,00 de compra + R$ 15,00 de venda)

      Ao recomprar 100 ações, colocará na aba "Posições Abertas" > "Quadro das Operações COMPRADAS (abertas)":
      Ativo: ABCD | Quantidade: 100 | R$ Cp: R$ 12,00 | Corretagens: R$ 15,00

      ----------------------
      A partir daí temos as seguinte situações:

      1) Se dias depois, ainda no mês 2, você vender as 100 ações, você transporta manualmente para a aba de "Operações Normais" e adiciona também os dados da venda.

      2) Caso compre mais ABCD, vá ajustando o preço médio nessa aba das "Posições Abertas".

      3) Se você fez somente essas operações durante todo mês, não precisa alterar mais nada na planilha. E a planilha calculará o IR só em cima daquela operação normal que foi finalizada e consta na aba "Operações Normais".

      ------------------------------
      4) Vamos pensar um pouco mais além. Imagine que a venda das 100 ações só ocorra no "Mês 3", ao preço de R$ 13,00. Aí na planilha do Mês 3 você terá na aba "Operações Normais" a operação

      Ativo: ABCD | Quantidade: 100 | R$ Cp: R$ 12,00 | R$ Vd R$ 13,00. (corretagem R$ 15,00 de compra + R$ 15,00 de venda)

      E não terá mais nenhuma posição aberta.
      ----------------------------

      Como você pode ver, a aba de Posições Abertas é para organização das operações que você ainda não finalizou (e portanto ainda não têm IR a ser pago).

      Abraços

      Excluir
  31. Fábio.

    Sua explicação foi ótima. Entendi perfeitamente.

    Muito Obrigado pela sua atenção!

    E parabéns pela Planilha!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  32. Fábio, boa tarde!

    Como eu lido com bonificação de ações - digamos de 10%.

    Veja se estou procedendo corretamente:

    Tenho 100 ações da "ABCD" (já lançado no Quadro das Operações Compradas (abertas).
    - Data de compra 01/06/2015
    - Quantidade = 100 ações
    - Preço de compra = R$ 10,00
    - Corretagem = R$ 15,00

    Recebo bonificação de 10 ações de "ABCD", com a informação que o valor das ações (bonificação), para fins de tributação, é de R$ 5,00.
    - Mantenho a data de compra anterior (não altero)
    - Altero a quantidade para = (100 + 10) = 110 ações
    - Altero o preço de compra para a nova média = [(100 x 10) + (10 x 5)] / (100 + 10)] = R$ 9,55
    - Não altero mais nada (não altero a corretagem)

    Mais tarde, compro no fracionário 90 ações de "ABCD", por R$ 11,00 cada.
    - Atualizo a data de compra
    - Altero a quantidade para = (110 + 90) = 200 ações
    - Altero o preço de compra para a nova média = [(110 x 9,55) + (90 x 11)] / (100 + 10)] = R$ 10,20
    - Corretagem = acrescento R$ 15,00.

    É isso ou estou fazendo bobagem?

    Obrigado,

    Márcio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Márcio! É exatamente assim que deves proceder. Única coisa que precisa fazer a mais: no caso da parte da bonificação de ações, não há também emolumentos "na compra".

      Quando ocorrer essa situação, você terá que acertar isso manualmente na coluna emolumentos. Pode acertar o número direto na coluna, ou acrescentar no final da fórmula:
      -(10*5)*0,000325

      (considerando o exemplo, onde a quantidade da bonificação é 10 e o preço é R$ 5,00)

      Abraços

      Excluir
  33. Fábio, boa tarde!

    Obrigado por esclarecer minhas dúvidas.

    Me deparei com uma situação nova (para mim) e estou meio confuso.
    É quando ocorre fusão entre empresas.

    Tentarei explicar.

    Em 2014, eu possuia ações da AEDU3 (Anhaguera), que "virou" KROT3 (Kroton), por fusão.
    Antes da fusão eu não possuía ações da Kroton.

    Mês 1 - ANTES DA FUSÃO:
    Ações da AEDU3 = 500 ações
    Preço de compra (R$ Cp) = R$ 20,00
    Total de compra (Total Cp) = 500 X 20,00 = R$ 10.000,00
    Corretagem = R$ 15,00
    Emolumentos = R$ 5,00
    (Posições Abertas = preencho normalmente, sem problemas).

    Mês 2 - APÓS FUSÃO:
    Fator de conversão: 0,30970293 ação ordinária de emissão da Kroton (KROT3) para cada ação ordinária de emissão da Anhanguera (AEDU3).
    500 ações AEDU3 = 500 x 0,30970293 ações KROT3 = 154,851 ações KROT3.
    No Extrato BM&FBOVESPA as 500 ações AEDU3 "viraram" 154 ações KROT3.
    Foi depositado em minha conta (na corretora) R$ 44,42 (Pagamento Frações sobre 0 de KROTON), que é o valor correspondente da sobra de 0,851 ações KROT3.

    Minhas dúvidas para preenchimento no Posições Abertas; como penso em fazer:

    Incluo o ativo KROT3:
    Quantidade = 154
    Emolumentos e Corretagem iguais ao do ativo AEDU3
    Preço de compra (R$ Cp) = 20/0,30970293 = R$ 64,578 (é isso mesmo?)
    Total de compra (Total Cp) = 154 x 64,578 = R$ 9.945,01
    Zero minha posição em AEDU3 (zerando Quantidade, R$ Cp, Emolum, Corretagem)

    Mas observo que:
    Quanto ao Total de Compra (Total Cp):
    Total Cp (Antes da fusão) = R$ 10.000,00
    Total Cp (Pós fusão) = R$ 9.945,01
    Diferença Total Cp = 10.000 - 9.945,1 = R$ 54,99

    Valor depositado em minha conta = R$ 44,42
    Diferença = 54,99-44,42 = R$ 10,57

    Tem R$ 10,57 voando...

    Se puder me orientar, agradeço muito.

    Abraço,

    Márcio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Márcio. Essa questão envolvendo fração de ação é um pouco complicada, mas pessoal costuma fazer o seguinte:

      (Custo total da compra original - valor recebido pela fração de ação) / novo número de ações

      Pelo situação do teu exemplo:
      (R$ 10.000,00 - R$ 44,42) / 154 = R$ 64,646 (novo PM)
      (custos com emolumentos e corretagem manter iguais)
      Isso ficaria na planilha em posições abertas.

      Depois na declaração anual colocaria o valor da fração de ação em "Rendimentos Isentos e não Tributáveis > Outros", especificando que valor veio de leilão de fração de ações por conversão de AEDU para KROT.

      * Achei estranho você ter recebido R$ 44,42, visto que na época o comunicado dizia que o leilão de frações foi ao preço de R$ 64,891698930 ... se a gente multiplicar pela 0,851 ação você teria que ter recebido mais.

      Abraço

      Excluir
  34. Fábio, boa noite!

    Fiz conforme você explicou. Assim fica mais fácil e evita rolo.

    Quanto ao valor recebido do leilão, você tem razão; tentei simplificar os cálculos, colocando valores redondos no mês 1, quando na realidade os valores não são exatamente esses. Conferi aqui com os valores reais e o valor informado do leilão (por ação) foi o valor depositado - diferença de centavos.

    Mais uma vez, Muito Obrigado!

    Abraço,

    Márcio.

    ResponderExcluir
  35. Ao criador dessa planilha gostaria de externar meus agradecimentos, é perfeita. Organizou tudo pra mim.
    Só tenho uma dúvida: Quanto aos valores dos tributos e emolumentos devidos, gostaria de saber se eles são constantemente alterados. Em caso positivo, é possível atualizar a planilha de alguma forma?
    Grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde! Que bom saber que a planilha está ajudando no seu controle de operações e IR. Sobre a dúvida:

      Os emolumentos e tributos não chegam a ter alterações constantes. Mas todos os meses (sem dia específico) costumo revisar a planilha e caso tenha alguma mudança ajusto e coloco para download aqui. Se preferir, pode também ajustar por si próprio direto nas fórmulas da planilha; aí comente aqui se tiver alguma dúvida para fazer a alteração.

      Já aproveitando sua dúvida, verifiquei no site da Bovespa que recentemente os emolumentos para operação normais com ações alterou para 0,032468% e DT para 0,024968%. Acabei de ajustar e colocar a planilha para download (antes era 0,0325% e 0,025%).

      Aqui você pode ver a alteração que comentei:
      http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/servicos/tarifas/listados-a-vista-e-derivativos/renda-variavel/tarifas-de-acoes-e-fundos-de-investimento/a-vista/

      Abraços

      Excluir
    2. Olá Fabio GC,
      Muito obrigado pela resposta.
      Estarei acompanhando sempre este blog e já indiquei sua planilha aos amigos.
      Mais uma vez parabéns.
      Abraços

      Excluir
  36. No caso de uma operação com travas de opções, onde compro uma opção e vendo outra, ambas de mesmo exercício e quantidades. como seria calculado o lucro ou prejuízo ? EX. compro 1000 PETRA15 a 0,20 centavos e vendo 1000 PETRA16 a 0,15 centavos, nesse caso gastei R$200 para comprar a PETRA15 e recebi R$150 pela venda da
    PETRA16, ou seja tive um custo de R$50 + taxas para montar a operação, supondo que a ação não suba de valor e a opção vire pó, o meu prejuízo a compensar para o mês seguinte seria de
    R$50 + taxas correto ? E no caso para fins de declaração de IR, como é declarado essa trava, seria apenas prejuízo ou tenho que especificar que eu efetuei a venda de opções e tive prejuízo ?
    se pudesse esclarecer a dúvida ficaria agradecido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Juliano! Exato, nesse teu exemplo você ficou com prejuízo de R$ 50,00 + as taxas que poderá ser usado para compensar dentro do próprio mês de apuração ou nos meses seguintes. Na declaração do IR vai entrar apenas como um prejuízo em "Renda Variável > Operações Comuns / Day Trade > Mercado opções - ações". Abçs

      Excluir
  37. Fábio, obrigado por esclarecer a dúvida e parabéns pela planilha.

    ResponderExcluir
  38. Oi Fabio, "LUCRO / PREJUÍZO MÊS" do RESUMO soma o valor de todas as compras e a diferença entre compra e venda nos momentos de venda. Desta forma gera um valor altíssimo de imposto a pagar. Não deveria estar somando apenas o resultado das operações de venda ? Onde estou errando ? Na venda preencho o valor e data da compra para calcular a diferença no campo R$ (coluna O). Abr. Marcelo Gaucho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Marcelo! Acredito que você está errando no seguinte:

      Cada operação completa deve ocupar apenas uma linha nas abas "Operações Normais" ou "Operações Day Trade". E essa linha é preenchida (com dados completos, de compra e venda) no momento da conclusão da operação.

      Enquanto a operação não é concluída, ela deve ser colocada apenas na aba "Posições Abertas" para não influenciar no cálculo de IR a pagar.

      Abraços

      Excluir
    2. É isso mesmo Fabio. Agora ficou certo.Obrigado.

      Excluir
  39. Boa noite Fábio, parabéns pela iniciativa e pelo trabalho de colaborar com esse árduo assunto de tributação no mercado de renda variável. Tenho uma dúvida e apesar de ter lido os vários posts ainda não foi esclarecida completamente:
    1. Em 2016 fiz algumas operações de Long e Short e gostaria de saber como proceder para lançar na planilha. Exemplo. Em 19/07/2016 Aluguei e vendi BOVA11 180 ações vendidas a preço de R$ 54,60 com corretagem de R$23,13, as vendas no mês foram acima de 20mil e comprei RUMO3 1600 ações a preço R$5,95 com corretagem de R$ 21,33. A operação se encerrou em 01/02/2107 Venda RUMO3 à R$7,78 corretagem 24,13 e compra BOVA11 R$63,43 corretagem 23,13 e vendas no mês acima de 20 mil. Como fazer esse lançamento??? Grato Wagner Fernandes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Wagner Fernandes! Long & Short é apenas nome da estratégia, mas na realidade são apenas dois negócios. Ou seja, você irá utilizar duas linhas de "Operações Normais" da planilha referente ao mês de fevereiro de 2017 (que foi mês de encerramento das operações). Os dados ficariam:

      [LINHA 1] Data Cp: 01/02/2017 | BOVA11 | Quantidade: 180 | R$ Cp: 63,43 | Data Vd: 19/07/2016 | R$ Vd: 54,60

      [LINHA 2] Data Cp: 19/07/2016 | RUMO3 | Quantidade: 1600 | R$ Cp: 5,95 | Data Vd: 01/02/2017 | R$ Vd: 7,78

      Fora isso, adiciona as corretagens de compra e venda nas colunas "Corretagem". E o custo com aluguel de BOVA11 também pode ser utilizado para abater o lucro e diminuir a base de incidência de IR.

      Como vendeu mais de R$ 20 mil no mês, na aba "Resumo Imposto" você deve escrever SIM no campo "VENDEU MAIS DE R$ 20.000,00 EM AÇÕES NO MÊS?"

      Abraços

      Excluir


  40. Fábio,
    mais uma dúvida se possível : Como faço a desecreção dessas ações pegas em aluguel na sessão de bens e direitos da declaração? e desde já agradeço plenamente por nos permitir acesso a essa util ferramenta de gestão de nossas carteiras e de sua disponibilidade em nós responder.
    abraços Wagner

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Wagner! Você coloca essas ações em "Dívidas e Ônus Reais". Código 16 - outras dívidas e ônus reais. E depois discrimina a operação colocando que é uma posição vendida de ações, ativo, quantidade, custo de venda líquido de taxas, etc. Como você pode ver, é um pouco diferente de declarar uma posição comprada, que entra em "Bens e Direitos". Abraços

      Excluir
    2. Prezado Fábio,

      obrigado pela preciosa dica!!! Forte abraço

      Excluir
    3. Fábio, me desculpa a incipiência, mas ainda em tempo se possível claro:
      1. Quando desmonto a operação dentro do mesmo ano fiscal, montei uma posição em julho 2016 e desmontei em Novembro de 2016, como faço esse lançamento no programa de IR dos ativos pegos em aluguel e de sua devolução?
      cordialmente
      Wagner Fernandes Júnior

      Excluir
    4. Olá Wagner! Nesse caso você não virou o ano vendido na ação, então terá apenas que declarar o lucro/prejuízo da operação. E isso vai ser naquela parte onde colocamos os resultados mensais "Renda Variável -> Operações Comuns / Day-Trade". Se tiver outra dúvida vai mandando. rsrsrs Abraços

      Excluir
    5. Fábio, mais uma vez obrigado! E até a próxima dúvida rsrsrs

      Excluir
  41. Muito obrigado pela planilha, tem me ajudado bastante.

    Uma dúvida: Em dezembro eu comprei algumas ações da ambev e recebi no mesmo mês o valor de R$0,1870 por ação referente pagamento de JPC, eu fiz a venda dessas ações no mês de janeiro, devo colocar o valor de compra normal ou desconto o valor do JPC pago? E também comprei em dezembro ações de uma outra empresa que também tem JPC, já vendi essas ações em janeiro, mas ainda não recebi o pagamento do JPC. Nesse caso o procedimento é igual ao das ações da Ambev? E dividendos funciona igual ao JPC?

    E no caso de venda e recompra de uma ação no mesmo dia na hora de lançar na planilha inverto a ordem e não coloco o custo das ordens pois o valor da ordem de venda já coloquei e o da compra coloco só quando vender de novo, está correto?

    Desde já agradeço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Wellington,

      Sobre a primeira dúvida: coloque valor de compra normal (Não deve descontar o valor do JSCP ou Dividendo recebido. Dividendos é isento de IR e JSCP tem IR Retido na Fonte, por isso você não deve misturar com as operações.)

      Segunda dúvida: Se vendeu e recomprou a ação no mesmo dia, você gerou um negócio DAY TRADE. Sendo que os preços de compra e venda serão aqueles negociados no dia. As taxas você insere normalmente. Por exemplo:

      Você tinha em carteira 1000 ABCD4 a R$ 10,00.

      No "dia 6" você:
      Vende 1000 ABCD4 a R$ 9,00
      Recompra 1000 ABCD4 a R$ 8,00.

      Na planilha você terá um Day Trade com preço de compra R$ 8,00 e venda a R$ 9,00. E ao final do dia continuará com 1000 ABCD4 a R$ 10,00 (este continua sendo o teu preço médio da operação normal, que ainda não foi finalizada).

      Abraços

      Excluir
  42. Fábio, boa tarde. Gostaria mais uma vez da sua ajuda

    quando existe o pagamento de bonificação ou desdobramento de um ativo como faço para preencher a operação na hora de concluí-la? Mais uma ve obrigado pela ajuda.
    Wagner

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Wagner! Quando houver desdobramento, ajuste o preço médio e quantidade da posição na mesma proporção do desdobramento.

      Na bonificação de ações: você terá uma nova quantidade e uma alteração de preço médio. Deves procurar no comunicado da empresa o custo atribuído às ações bonificadas.

      Nesse caso você pega esse valor e usa para fazer o preço médio com as ações que você possuía em carteira. Não esqueça também que na "compra" das ações bonificadas não têm corretagem e emolumentos.

      Abraços

      Excluir
    2. Obrigado mais uma vez Fábio! Forte abraço e bom feriado.

      Excluir
  43. Boa tarde!
    Primeiramente parabéns por construir uma planilha muito intuitiva e disponibiliza-la para download.
    Percebi que nas operações Normais, quando tenho prejuízo está sendo calculado o IR retido normalmente. No caso de prejuízo, não há retenção de IR na operação, certo?
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Joel! Tudo bom?

      Diferente do Day Trade, nas operações normais há IR retido na fonte mesmo no caso de prejuízo (0,005% em cima do total da venda).

      Abraços e um ótimo feriado!

      Excluir
  44. Está ajudando bastante suas orientações. Se possível, gostaria de tirar algumas dúvidas: a) Os valores dos ganhos em ações isentos a serem lançados em Rendimentos Isentos e Não tributáveis (vendas até R$ 20.000,00), devem ser lançados individualmente mês a mês ou o total do ano todo ? b) baixei sua planilha pela internet onde na apuração do resultado mensal é descontado 5,20% de ISS (calculado em cima do valor da corretagem). Esse valor poderá realmente ser abatido ? c) Por último, separei todas as notas de corretagens geradas no HB da Caixa e nas vendas constam alguns centavos de IRRF sobre operações (valores variam de R$ 0,01 a R$ 0,14). Onde lanço isso ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!

      a) Lance individualmente mês a mês os ganhos isentos.

      b) Sim pode utilizar o ISS para abater do lucro. Todas aquelas despesas que aparecem na nota de corretagem podem ser usadas.

      c) IRRF você lança na ficha "Renda Variável -> Operações Comuns / Day-Trade" naquela parte de "Consolidação do Mês", IR fonte de Day Trade e IR fonte. Porém aconselho pedir o informe da corretora com os valores de IRRF (e não se guiar pelas notas de corretagem).

      Qualquer outra dúvida vai mandando.
      Abraços

      Excluir
    2. Agradeço imensamente suas orientações. Como sou iniciante em declarar ações no Imposto de Renda, fiquei em dúvida sobre os lançamentos no campo Renda Variável-Operações Comuns/Day-trade: Em agosto/16 tive um total de vendas de R$ 5.349,00 que gerou um lucro de R$ 383,94. Como faço os lançamentos nesse campo ? Tentei lançar o valor das vendas e o sistema transportou para RESULTADO LIQUIDO DO MES o valor de R$ 5.349,00 e calculou um IMPOSTO DEVIDO de R$ 802,35. É isso mesmo ? Pelo que entendi, há uma isenção de até R$ 20.000,00 em vendas por mês. Estou muito confuso e preocupado. Por gentileza, me esclareça isso.

      Excluir
    3. Boa noite Rivermen! Minha resposta ao item A das suas dúvidas talvez tenha ficado muito simplificada. Quando falei "Lance individualmente mês a mês os ganhos isentos", quis dizer o seguinte:

      Você deve lançar os ganhos isentos, mês a mês lá em Rendimentos Isentos e Não Tributáveis, código 20. Aí será um lançamento para cada mês (em que houve lucro isento).

      Estes ganhos isentos não entrarão lá em "Renda Variável-Operações Comuns/Day-trade". Apenas ficarão nessa ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

      Abraços

      Excluir
    4. Só complementando: No programa IRPF2017, você vai em ficha "Rendimentos Isentos e Não Tributáveis", clica em "Novo" e insere o código 20 ("Ganhos Líquidos em operações no mercado à vista de ações negociadas em bolsas de valores nas alienações realizadas até R$ 20.000,00, em cada mês, para o conjunto de ações"). Depois acerta o Tipo de Beneficiário e o Valor e clica em "OK".

      Deves fazer um lançamento para cada mês em que houve lucro enquadrado nessa regra de isenção.

      Excluir
  45. Boa noite! Hoje descobri sua planilha no google e confesso que ela me salvou de uma grande enrrascada, parabéns pelo excelente trabalho e muito obrigado por te-la disponibilizado para todos.

    ResponderExcluir
  46. Bom dia Fábio!
    Sei que é repetitivo, mas continuo a parabeniza-lo pela dedicação com que você atende às solicitações dos leigos.Por favor me dê uma ajuda:
    trata-se de operações Long e Short.
    Os débitos que a corretora faz relativos a "reembolso rendimento-BTC papel..." e "reembolso dividendos BTC papel...", poderão ser incorporados às despesas quando do cálculo do IR?
    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Guilherme! A última Instrução Normativa da Receita Federal que trata sobre o assunto não é muito clara sobre o que pode considerar como despesas. Mas a anterior dizia:

      § 2 º Os valores de que tratam os arts. 58 e 59 serão computados como:
      I - despesa dedutível, no caso de tomador pessoa jurídica tributada com base no lucro real;
      II - custo da operação, nos demais casos.

      § 3º O reconhecimento como despesa ou custo das importâncias reembolsadas ao emprestador nos termos do art. 59 somente será admitido quando o direito atribuído à ação não for recebido pelo tomador.

      (Sendo que o artigo 58 tratava dos juros do empréstimo e o 59 trava do reembolso de proventos)

      http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=15987#128120

      ---------------------

      Na nova IN (2015) diz:

      Art. 76. No caso de tomador de ações por empréstimo, a diferença positiva ou negativa entre o valor da alienação e o custo médio de aquisição desses valores será considerada ganho líquido ou perda do mercado de renda variável, sendo esse resultado apurado por ocasião da recompra das ações.

      Parágrafo único. Na apuração do imposto de que trata o caput, poderão ser computados como custo da operação as corretagens e demais emolumentos efetivamente pagos pelo tomador.

      Art. 77. Aplica-se, no que couber, o disposto no art. 73 aos empréstimos de títulos e outros valores mobiliários.

      (artigo 73 fala sobre os juros do empréstimo)
      http://normas.receita.fazenda.gov.br/sijut2consulta/link.action?visao=anotado&idAto=67494#1564214

      ------------------

      Ao meu ver apenas o custo com o aluguel das ações (os juros do empréstimo) pode ser considerado no cálculo do IR.

      Abraços

      Excluir
  47. Boa tarde Fábio,

    Primeiramente quero agradecer pelo excelente trabalho. Já recomendei seu site para alguns colegas. =)

    Tenho uma dúvida referente ao recolhimento da DARF...

    Digamos que no primeiro mês na bolsa, eu tive lucro e realizei venda de mais de 20k em ações e nos demais meses tive prejuizo, fechando o ano no prejuizo. Minha pergunta é: Devo pagar a DARF relativa ao primeiro mês da bolsa e passar a considerar somente como prejuizo os meses subsequentes sem ganhos ou devo considerar o ano todo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá rickgallagher! Você deve pagar a DARF relativa a esse primeiro mês da bolsa (lembrando que a data de vencimento da DARF é o último dia útil do mês subsequente ao mês da apuração).

      Exemplo:

      JAN: lucro de R$ 2.000,00 (deves gerar DARF e PAGAR IR)
      FEV: prejuízo de R$ 1.000,00
      MAR: lucro de R$ 500,00 (ainda possui R$ 500,00 para compensar)
      ABR: lucro de 700,00 (aqui você paga IR sobre R$ 200,00)

      Enfim, se você conclui uma operação com prejuízo agora, você só pode usar esse prejuízo para compensar dentro próprio mês de apuração ou nos meses subsequentes. Não pode usar esse prejuízo para compensar lucro de meses anteriores.

      Abraços

      Excluir
  48. Boa tarde,

    Estou fazendo o IR desse ano e venho preenchendo as planilhas todo mês, mas sem calcular preço médio (ainda não vendi nenhuma das ações que comprei). Cada nova compra preenchi uma nova linha nas posições abertas.
    Para fins de preenchimento do IR agora, terei que fazer isso (calcular o preço-médio)
    A pergunta é: Após tirar o valor do preço-médio utilizando aquela seção de preço médio das ações. Como verificar a parte das corretagens/emolumentos? É só somar cada um e colocar tudo na mesma linha?

    Ex: Tenho 3 compras de ITSA4 e uma bonificacao
    Compra 1: 13/04/2016 ITSA4 100 acoes a 8,77 (emol: 0,28 corretagem: 8,99)
    Compra 2: 11/11/2016 ITSA4 100 acoes a 8,63 (emol: 0,28 corretagem: 8,99)
    Compra 3: 12/11/2016 ITSA4 200 acoes a 8,63 (emol: 0,55 corretagem: 8,99)
    Bonificacao: 29/04/2016 10% ITSA4 10 acoes a 6,04 (emol: zero corretagem: zero)

    Faço o cálculo do preço-médio das 410 acoes dá 8,60
    Em relação aos emolumentos e corretagem é só somar?

    A resposta seria como abaixo?
    Na planilha condensaria as três linhas numa só e ficaria assim:
    Compra 1: 12/11/2016 ITSA4 410 acoes a 8,60 (emol: 1,11 corretagem: 26,97)

    Atc,

    Leonardo Menezes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Leonardo! Exatamente isso, você soma as corretagens e coloca todas na mesma linha. No teu IRPF essas ações entrarão em Bens e Direitos, e em 31/12 você deve colocar o custo total de aquisição. Utilizando este exemplo da ITSA4, o valor que iria neste campo sairia do cálculo: 410 x 8,60 + 1,11 (emolumentos) + 26,97 (corretagens) = R$ 3554,08

      O valor das ações bonificadas (R$ 60,40) aparecerá também na ficha de Rendimentos Isentos e Não-Tributáveis, Incorporação de reservas ao Capital/Bonificação em ações http://www.investimentonabolsa.com/2014/11/como-declarar-bonificacao-de-acoes-no.html

      Abraços

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta rápida Fábio. Só mais uma dúvida, no caso da venda parcial dessas ações quando eu for vender:
      Supondo que queira vender 200 ações. A planilha irá calcular tudo certinho e tal, o quanto terei que pagar de imposto se for o caso, etc.
      Como fica a questão das posições ainda abertas? Fica com o mesmo preço-médio calculado anteriormente? E em relação às corretagens/emolumentos das posições ainda abertas, como ficam? Permanecem as mesmas?

      Excluir
    3. Já sei onde estou me confundindo. Na realidade estou sobrescrevendo a fórmula. Os valores seriam atualizados automaticamente.
      No caso então, estou com um problema: Minha corretora às vezes me informa o valor da corretagem com cerca de 1 ou 2 centavos de diferença (para mais ou menos) em algumas compras o valor não bate exatamente com o valor da fórmula da planilha. O mesmo ocorre com o ISS: se faço uma compra apenas por pregão fica R$ 0,44. Se faço duas compras não fica R$ 0,88: fica R$ 0,89. O que faço então para não gerar problemas com meu IR por causa dessas pequenas diferenças de 1 ou 2 centavos nos emolumentos e ISS?

      Excluir
    4. Olá Leonardo,

      1) Se você tinha nas posições abertas 410 ações a 8,60 e vendeu 200, você permanecerá com 210 em posições abertas, com mesmo preço médio (8,60).

      A corretagem você verifica a proporção (aplica uma regra de três). Para 410 ações deu 26,97, então para 200 é 13,15 de corretagem. Os emolumentos não precisa se preocupar, pois no momento que você altera a quantidade a planilha já aplica automaticamente a taxa na proporção certa.

      Nesse caso em posições abertas teria:
      210 a 8,60, corretagem de compra 13,82

      Em Operações Normais, teria:
      200 a 8,60 (compra) e corretagem de compra 13,15. De resto adicionaria preço de venda e corretagem de venda.

      2) Na verdade a taxa de corretagem é colocada manualmente na planilha original. Talvez você tenha criado alguma fórmula nestas colunas para tornar automático. Estou certo? Estas diferenças com certeza são causadas por arredondamentos. Dê uma analisada como a corretora faz e incrementa nas fórmulas as funções do Excel ARREDONDAR.PARA.BAIXO ou ARREDONDAR.PARA.CIMA. Se sua corretagem for fixa é bem fácil acertar isso. De qualquer maneira nunca vi esse tipo de diferença mínima dar problema com a Receita.

      Abraços


      Excluir
    5. Boa noite,

      A parte das ações e das bonificações já estava claro na resposta anterior.
      Sim o preço da corretagem na minha corretora é fixo em R$: 8,99. Embora o preço da corretagem seja fixa e a corretora diga que a taxa de ISS seja de 5%, as contas em várias notas de corretagem não batem. Se fizermos as contas de 5% de ISS sobre R$ 8,99 dá R$ 0,4495 (são cobrados 0,44).
      Agora é onde vem a questão, se fizer só uma compra no pregão a corretagem será R$ 8,99 e o ISS será R$ 0,44.
      Se fizer duas compras a corretagem será R$ 17,98 e o ISS será 0,899.
      Putz!!! É isso. A conta do ISS é feito sobre o valor total de todas as ordens do dia, por isso 2 ordens dá 0,89 e não 0,88 (2 x 0,44) como pensava.
      Agora que descobri onde está o erro. Como corrigir na planilha? Pois na planilha informamos o valor da corretagem para cada ordem de compra e não da soma total das ordens (problema do centavo extra). Ou esse centavo extra é preocupação à toa minha? Acabei de ver e esse é o mesmo problema dos emolumentos (o arredondamento, se colocar mais casas decimais os valores se somam e a conta fecha exata). Como lidar com esse problema?

      Excluir
    6. Boa noite Leonardo! A Receita não vai perseguir ninguém por causa desse tipo de diferença de 1 centavo. Ainda mais que às vezes vamos ter diferenças para cima e às vezes para baixo, então no final elas acabam se compensando. A única forma de corrigir seria manualmente (através de uma fórmula creio que seja impossível), mas não vejo motivo para se preocupar com isso. Bom final de semana! Abs

      Excluir
  49. Boa tarde Fabio!

    Necessito mais uma vez da sua ajuda. Como e aonde eu declaro as opções em aberto na minha declaração de IR?

    Até 31/12 eu estava com duas calls compradas e uma call vendida.

    Por exemplo: calls compradas - 17/11/16 - ABCDA17 - 1000 - 0,87
    22/11/16 - EFGHB61 - 500 - 1,84

    venda coberta de call - 22/12/16 - IJKLB43 - 600 - 0,55

    Devo incluir na descrição os custos envolvidos nas operações?

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Frederico! As compradas coloque em "Bens e Direitos - Código 47, Mercados futuros, de opções e a termo" e as vendidas em "Dívidas e Ônus Reais - Código 16, Outras dívidas e ônus reais". Na discriminação basicamente coloque código da opção, quantidade, preço médio... Em 31/12 coloque custo de aquisição considerando as taxas envolvidas nas operações (lembrando que no caso dessa venda coberta de call, o valor da venda corresponde ao de seu custo).

      Essa call vendida vai em "Dívidas e Ônus Reais" porque você tem um crédito na conta da corretora (prêmio recebido) que até concluir a operação ainda não é um rendimento. Na discriminação, coloque também que é um Lançamento Coberto de Opções Call "IJKLB43", referentes ao ativo "IJKL"...

      Excluir
  50. O JSCP eu só preciso declarar anual, pois já vem descontado o 15% do valor anunciado ?
    Ex: vai pagar 1 real e recebo 0,85 centavos.

    Obrigado !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo José, JSCP (e também dividendos) só deve se preocupar em colocar na tua declaração anual! Abs

      Excluir
  51. Qual a diferença de Dividendo e JSCP ?
    A diferença é que apenas vem retido o 15% no JSCP ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso, para nós investidores essa é a diferença. Se quiser pode dar uma lida aqui também http://www.investimentonabolsa.com/2014/10/saiba-diferenca-entre-dividendos-e.html

      Excluir
  52. Day trade

    Mês de fevereiro -4.026,80 prejuizo no Day Trade e no mês de março lucro 1000 reais bruto e liquido 971,95 ( descontando emolumentos e corretagens ), sendo que IRRF ficou 9,72.

    Declaração de fevereiro fica -4.026,80 prejuizo e mês de março declaro 971,95 de lucro e coloco 9,72 de IRFF ?

    Obrigado !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá José! Isso, o prejuízo de 4.026,80 vai no mês de fevereiro da ficha "Renda Variável, Operações Comuns / Day-Trade" e o lucro de 971,95 vai no mês de março.

      Só um alerta sobre o IRRF (day trade e também normal): é importantíssimo pedir para a corretora os informes deles com os valores de IRRF que você deve colocar no mês a mês da declaração. Em algumas corretoras dá para pegar direto pelo Home Broker. Colocando igual esses documentos você garante que não vai ter problemas...

      Excluir
  53. Olá Fábio, bom dia! Olha não sei o porquê, talvez ignorância minha mesmo. mas na planilha, na coluna de emolumentos, a célula fala que alí estariam juntos incluídos os "emolumentos", "tx de liquidação" e "tx de registro", todavia os números batem apenas com os emolumentos na nota de corretagem de minha corretora...sabe explicar o porquê?
    Ex.: Foi realizada uma compra de Opcoes no valor de 324,00, pela nota de corretagem tenho emolumentos de 0,11 +tx de liquidação 0,08 + tx de registro 0,22 o que daria um total de 0,41 entavos, porém na planilha, aparece apenas os 0,11 dos emolumentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Eduardo! Você escreveu OPCAO na coluna "Tipo"? Fiz o teste e se colocar ACAO (para uma compra com total de R$ 324,00) vai calcular os 0,11 que você disse. Então provavelmente você esqueceu de trocar de ACAO para OPCAO. Verifica se resolveu. Abraços

      Excluir
  54. Boa tarde Fábio.

    Estou preenchendo o IR ainda e me surgiu uma dúvida:
    No mês de agosto o IR deu 9,20. Como para gerar o DARF é no mínimo 10,00 não paguei.
    Em setembro tive um prejuízo de 2.058,72 e coloquei o valor lá no programa em setembro.
    No programa do IRPF não tem como dizer que ficou os 9,20 ainda. Como faço para resolver? pois o programa não deixa ajustar o valor do campo "Prejuízo a Compensar" de outubro que fica 2.058,72, quando deveria tirar os 9,20 do imposto do mês anterior (O valor correto deveria ser: 2049,52).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Leonardo,

      O programa não vai ajustar dessa maneira, mas a Receita saberá que não foi pago pela impossibilidade de gerar a DARF menor que 10 reais. Esse IR de 9,20 deverá ser pago, só que no próximo mês que você tiver que pagar IR (e somando esses 9,20 ultrapassar o valor mínimo da DARF). Então por exemplo:

      Agosto: IR de 9,20 não foi pago por causa do valor mínimo da DARF
      Setembro: Prejuízo de 2.058,72
      Outubro: Lucro de 3.000,00

      Você calcula o IR sobre 941,28 e depois adiciona no valor da DARF os 9,20. Como a DARF agora está com valor superior aos 10,00, você consegue pagar. E daí está tudo acertado.

      Abraços

      Excluir
  55. Boa noite, após baixar a planilha comecei a me organizar melhor com meus lucros e prejuízos em opções. Porém, ocorreu o seguinte: já havia calculado e pago o IR de um lucro q obtive em Jan/17 e durante a reorganização, utilizando a planilha, acabei calculando o lucro de janeiro, gerando outra DARF e efetuei o pagamento novamente sem perceber... Você consegue me orientar sobre a possibilidade de restituição do valor?
    Desde já agradeço imensamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Fernando! Você terá que baixar o programa PER/DCOMP no site da Receita e pedir a restituição do valor através dele. https://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/tributaria/restituicao-ressarcimento-reembolso-e-compensacao/perdcomp

      Excluir
    2. Obrigado Fábio vou fazer isso, em se tratando de Brasil será q recebo isso em menos de mil anos? Rsrsrs.
      Abraço

      Excluir
  56. Prezado Fábio,

    Parabéns pela "excelente planilha para o mercado de renda variável." E pela sua atenção e gentileza no atendimento e rapidez nas respostas e orientações perfeitas.
    Já estava meio desesperado pois não encontrava uma planilha tão bem elaborado quanto a sua e
    realmente me deixou tranquilo para cuidar das operações e sabendo que vou estar com o IR sendo
    feito da forma correta.

    Muito obrigado pela colaboração.

    Grd Abraço,

    ResponderExcluir
  57. Era tudo o que eu precisava. Simples e objetivo. Parabéns!

    ResponderExcluir
  58. Parabéns pelo trabalho Fábio! Tua planilha de controle de investimentos em renda variável é bastante facilitadora do nosso trabalho! Muito obrigada pelo suporte fornecido, por todos os esclarecimentos prestados, com muita rapidez e gentileza!

    ResponderExcluir
  59. Parabéns Fabio. Finalmente estou com uma planilha que entendo e confio! Com suas varias informações que me deu com exemplos inclusive na pratica, sinto que lhe devo um agradecimento grande. Muito grato!!!

    ResponderExcluir
  60. Muito boa a planilha! Interface simples e processo de compra muito tranquilo. O suporte disponibilizado pelo Fabio é fora de série! Ele é extremamente atencioso e tira todas as dúvidas, inclusive com exemplos reais das nossas operações. Parabéns pelo excelente trabalho!

    ResponderExcluir

Postar um comentário