Postagens

Valor Patrimonial, Valor de Mercado e Valor justo

Imagem
Valor Patrimonial Esse valor, que está no balanço patrimonial da empresa, reflete o passado da mesma e não pode ser usado como referência na compra da ação. A empresa pode estar sendo cotada muito abaixo do seu VPA porque o mercado já está precificando a inviabilidade do negócio, problemas do setor, uma dívida descontrolada, um negócio mal planejado que vai gerar prejuízo mais há frente, ou simplesmente prejuízos já constantes que futuramente farão o patrimônio líquido zerar ou ficar negativo. Do mesmo jeito, uma empresa pode estar cotada acima do VPA por ser muito bem administrada e ter histórico de lucros muito consistentes. Enfim, o mercado está interessado no futuro da empresa.
Valor de Mercado (número de ações x cotação atual) O valor de mercado é o resultado das diferentes análises / pontos de vista de vários investidores, portanto é como eles estão avaliando, no momento, o patrimônio líquido da empresa. Isso significa que a ação pode estar cotada acima ou abaixo do Valor Patrimo…

Saiba como funcionam as Médias Móveis

Imagem
O mercado de capitais é muito volátil. Às vezes são feitas máximas e mínimas bastante distanciadas em papeis por conta de notícias, ou simplesmente pelo humor dos investidores. A média móvel é uma técnica utilizada para minimizar essas oscilações do dia-a-dia, de forma a filtrar a real tendência de um papel. Confira abaixo os três tipos de médias móveis mais usados.

Simples ou Aritmética (MMA) É a mais usada e mais fácil de calcular. Exemplo: Se há 7 dias de plotagem de preços de determinado papel; para se obter a média móvel, basta somar os preços de fechamento dos 7 dias e dividir a soma por 7. A cada novo preço, elimina-se da fórmula o preço mais antigo e coloca-se o preço mais recente. Nela, os preços de todos os dias (períodos) têm o mesmo peso.

Exponencial (MME) A média móvel exponencial é muito usada para identificar reversões de tendências. Ela acompanha mais rapidamente a oscilação de preços, pois os dados mais recentes possuem maior importância no cálculo da média. Outra carac…

O que é rating ou nota de risco?

Imagem
São diversas as vezes que escutamos falar sobre rating em sites de notícias sobre o mercado financeiro. Rating basicamente é uma nota em forma de letras e sinais aritméticos, revisada periodicamente por agências de classificação de risco, que mostra qual a capacidade de um país ou empresa honrar seus compromissos financeiros / saldar suas dívidas.

As três principais agências que fazem esse serviço são Moody’s, Standard & Poors (S&P) e Fitch Ratings. Para dar a nota, elas consideram a situação financeira da empresa e as condições do mercado no qual ela está inserida. No caso dos países, analisam as conjunturas econômica, social e política.

Em relação às notas, empresas ou países classificados como AAA/Aaa até BBB-/Baa3 são considerados como grau de investimento (menor risco de calote), enquanto os que possuem nota de Ba1/BB+ até C/R e D são considerados como grau especulativo. É importante lembrar que uma mesma empresa/país pode apresentar títulos de dívida com diferentes nota…

Como a Taxa Selic afeta a bolsa de valores?

Imagem
A cada 45 dias ocorre, em Brasília, a reunião do COPOM (Comitê de Política Monetária do Banco Central) para definir a taxa Selic, também chamada de taxa básica de juros. Essa taxa influi bastante na economia brasileira. Por exemplo, ela é usada pelos bancos para calcular a rentabilidade de alguns investimentos e também como referência para taxas de empréstimos e financiamentos.

Quando a Taxa Selic está alta, há desestímulo ao consumo, pois o crédito fica caro e os investimentos conservadores e de renda fixa se tornam mais atrativos. Ou seja, é o momento propício para as pessoas investirem dinheiro, e não para gastá-lo. A diminuição do consumo ajuda a conter a inflação, pois as mercadorias acabam sobrando em estoque e os preços caem (lei da oferta e procura). O contrário ocorre quando a Selic está baixa, há estímulo ao consumo, pois o crédito fica barato e os investimentos ficam pouco atrativos.

A Taxa Selic alta prejudica as empresas brasileiras, pois o crédito caro "trava&quo…

Entenda a Venda a Descoberto de ações

Imagem
A operação mais simples no mercado de ações é aquela que o investidor compra uma ação e após as vende por um preço superior (ganha com a alta da ação). Mas existe um tipo de operação que pode alargar o leque de oportunidades: a Venda a Descoberto. A venda a descoberto permite que a ordem da operação seja invertida: primeiro a venda e depois a compra. Ou seja, é possível ganhar também apostando na queda do preço de uma ação.

Se o investidor pretende apenas tirar proveito da queda de uma ação em uma operação Day Trade, ele apenas faz a Venda a Descoberto* e depois irá recomprar a ação no mesmo dia. Mas caso ele deseje manter a posição vendida, precisará obrigatoriamente alugar as ações. Por exemplo...

Faz a venda de 2000 WXYZ4 a R$ 10,00 acreditando que em 5 dias essa ação irá se desvalorizar. Em seguida precisa alugar as 2000 WXYZ4 de outro investidor. Futuramente, recompra as 2000 ações e as devolve acrescidas de uma taxa de juros (pré-acordadas no momento do aluguel), para o chamado…

Quem foi Benjamin Graham?

Imagem
Benjamin Graham (1894 - 1976) foi um economista americano considerado o criador da estratégia de Investimento em Valor (Value Investing), filosofia de investimento para longo prazo que virou uma das mais eficazes e rentáveis ao longo das últimas décadas. Entre seus seguidores conhecidos está Warren Buffett, que se baseou nos princípios fundamentais do Value Investing para obter sucesso no mercado de ações e alcançar uma das maiores fortunas pessoais do mundo.

Livros: As ideias e métodos de Graham sobre investimento estão em dois livros, que são considerados leitura obrigatória para qualquer investidor:

- “Security Analysis” (“Análise de Segurança”) - Publicado em 1934 em coautoria com David Dodd, é considerado por muitos a Bíblia do Value Investing. Alguns dizem que esse livro foi consequência da experiência de Graham na Crise de 1929, na qual ele teria perdido em torno de 70%.

- "The Intelligent Investor" (“O Investidor Inteligente”) - Em 1949, Benjamin Graham publicou uma v…

Jesse Livermore, um dos maiores traders da história

Imagem
Jesse Livermore é considerado um dos maiores traders de todos os tempos. Com apenas 14 anos, saiu de casa e foi trabalhar em uma corretora. Não precisou de muito tempo para se tornar um dos maiores investidores da história da bolsa. Jesse Livermore chegou a quebrar 4 vezes até de fato ter sucesso no mercado financeiro. Inicialmente fazia muitas operações curtas, sem se preocupar com o valor justo da ação (era um Scalper Trader). Após a estratégia falhar, passou a operar seguindo a tendência do mercado. Jesse Livermore passou pelo crash de 1929, época na qual conseguiu lucros extraordinários: em torno de 100 milhões de dólares.

Em 28 de novembro de 1940 (aos 63 anos), suicidou-se, deixando a seus herdeiros cerca de 5 milhões de dólares. A causa do suicídio não se sabe ao certo, porém são poucas as chances de ser por motivo financeiro. Especula-se que tenha sido por depressão. No livro "Reminiscências de um especulador financeiro", a vida de Jesse Lauriston Livermore é contad…